SÃO PAULO - A juíza Marixa Fabiane Lopes Rodrigues, do Tribunal do Júri de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, decidiu que o goleiro Bruno Fernandes, Luiz Henrique Romão, conhecido como Macarrão, Sérgio Sales e Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, vão a júri popular pelo sequestro, pela morte e ocultação do cadáver de Eliza Samudio.

Os outros acusados - Dayanne de Souza, Elenilson Vitor da Silva e Wemerson Marques - vão responder pelo sequestro e cárcere privado da ex-amante do goleiro. Já Fernanda Gomes de Castro, antiga amante do ex-atleta do Flamengo, não vai a júri, mas também responderá pelo sequestro e cárcere privado de Eliza e seu filho.

De acordo com a sentença da juíza, divulgada nesta sexta-feira, 17, o goleiro, Bola, Macarrão e Sales devem permanecer presos. Os outros réus vão responder ao processo em liberdade. Ainda não há data para o julgamento. Todos os acusados negam o crime. O corpo da jovem não foi encontrado.

Em sua sentença, a magistrada justificou a manutenção da prisão dos quatro acusados pela morte argumentando que 'os delitos de sequestro e cárcere privado, homicídio qualificado e ocultação de cadáver contam com detalhes sórdidos e ultrapassam os limites da crueldade, geram perplexidade e intranquilizam a sociedade.'

Os alvarás de soltura de Dayanne, Fernanda, Silva e Marques já foram expedidos. Apenas o motorista de Bruno, Flávio Caetano de Araújo, que também foi denunciado pelo Ministério Público, acabou absolvido. Ele já está solto desde 27 de novembro, por ordem da juíza.

Em 2009, Eliza teve um relacionamento com Bruno, engravidou e dizia que o pai de seu filho é o atleta. O bebê nasceu no início de 2010 - atualmente, a criança está com a mãe da jovem, em Mato Grosso do Sul.