Vivendo o amor de Cristo

Criar.

  • 27/7/2010
  • 06:19 PM

Samana #7 NY #2

 

 

Cada imagem destas nos provoca uma percepção.

Uma revela a perfeição da natureza,

da própria perfeição de seu criador, Deus.

A outra, a criação do homem, necessariamente exata.

Repare que a natureza é perfeita mais não é exata.

Ela é fractal, ou seja obedece uma lógica de acaso.

Criar...

Trazer a existência...

São ações inerentes a própria condição de ser.

Deus..Deus não existe...( o que existe tem início e fim)

Deus é aquele que é!

Ser o princípio e o fim é a sua natureza.

Não somos Deus...

Fomos feitos seus filhos, sua imagem; conforme a ação do

Espírito Santo atuando em nossa vida.

Somos criaturas criadoras.

Isso nos assemelha á Deus, criar.

Tirar isso da raça humana,

seria reduzir nossa condição a animais...

E se você compreender o que diz o evangelho,

descobrirá que, o que Jesus veio fazer foi,

devolver essa “herança”.

Para isso Ele transforma, cura, ressuscita, ele tornar filho...

Acredito que perversões como a ambição, a inveja, a cobiça;

quero dizer, todo movimento em relação a um outro ser

que não se estabelece de forma apreciativa mas, sim

de forma possessiva sobre de este,

se origine de uma “inviabilidade” potencial deste sobre aquele.

Traduzindo...

Imagine comigo:

Eu não sou engenheira; não detenho o poder de construir um prédio.

Não sou senhora dessa arte...

Mas admiro agradecidamente aos que ha possuem;

pela beleza, utilidade, etc...

E se eu gostar ao ponto de querer possuir vou até adquiri-lo uma habitação.

Dessa forma a posse sana o desejo pelo objeto apreciado.

Mas a pose não sana a plenitude de quem o projetou e executou.

Esse é o ponto...

Ser o que se é pois, Deus é aquele que é...

A apreciação,a criação, e a posse estão inerentes e são características aos seres.

Se o ser não descobre seu potencial criador não conhece a sua própria plenitude em si.

E se,se ha conhece, e não a executa , não permite sua própria realização.

Vai se equivocar achando que possuindo um prédio

deterá então a plenitude conquistada pelo engenheiro e sua dignidade.

Toda a vaidade , consumismo , fútilidades dessa nossa contemporaneidade

resultam dessa falta de descobreta de si mesmo, da falta da execussão  dessa centelha de criação.

E se você conhecer-se vai exercer sua finalidade.

E apartir dela; nada te faltará...

Poderá adquirir coisas que aprecia ,todas as que aprecia, mas não as poderá fazê-las.

Então será inútil viver pela ambição material..

Essa plenitude em si ainda não me torna “conhecedor” de Deus.

E sim, a vivência da disciplina que me é proposta

É da natureza criadora, disseminar-se, dividir-se, revelar-se.

Mas é da natureza divina amar...

Amar não é somente criar, amar é dar se a si mesmo ao outro.

Contudo criar é dar se também.

 

Jesus disse:

Nisto serão conhecidos como meus discipulos:

    se amarem se uns aos outros.” (Mt 7:20)

 

"Deixe seu pedido de oração em comentários,vamos orar. Deus te abençõe."


Comentários deixe um comentário


Página Anterior | Página 114 de 576 | Próxima Página