Campeonato Brasileiro de futebol de botão

Record desiste de participar da licitação do Brasileirão via Clube dos 13 Emissora alega que clima de incerteza entre entidade e clubes foi determinante para decisão

07:02 PM, 13/3/2011

A Record anunciou nesta sexta-feira, através de nota oficial, que desistiu de participar do processo de licitação dos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro entre 2012 e 2014, que dividiu os principais clubes de futebol do País. De acordo com a emissora, o clima de incerteza criado após o "racha" do Clube dos 13 provocou a decisão. Além disso, declarou não aceitar participar de um processo de "cartas marcadas", já que disse entender que alguns clubes estão predispostos a aceitar a proposta da Rede Globo, sem sequer ouvir a Record.

"Alguns clubes, antes de ouvir qualquer proposta por parte da Record, já indicam que têm acordos pré-acertados com outra emissora. Os responsáveis por estes acordos que prejudicam os torcedores, clubes e patrocinadores devem vir a público para revelar como foram as negociações e qual o valor acertado previamente, sem concorrência, sem transparência e baseados nos mesmos princípios que ajudaram a reduzir o poder dos clubes, prejudicaram o faturamento das agremiações, limitaram a exposição de patrocinadores e impuseram horários estranhos para a prática do futebol, além de transformar o mais popular esporte do País num mero exportador de talentos. Diante desta atitude a Record informa que não aceita participar de um jogo com cartas marcadas", afirma a nota oficial.

Na licitação do Clube dos 13 pelos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro 2012 e 2014, a propostas das TVs abertas teria que ser de ao menos R$ 500 milhões. A Rede TV! saiu vencedora com R$ 516 milhões anuais, mas o processo está esvaziado e não tem valor prático. A Rede Globo já havia desistido anteriormente da disputa e informado que negociará individualmente com os clubes. A RedeTV! era a outra interessada nos direitos de transmissão do torneio e ainda não se manifestou oficialmente sobre o assunto.

A Record, porém, ressaltou que mantém o interesse de adquirir os direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro entre 2012 e 2014. "A emissora volta a manifestar seu desejo de participar da concorrência democrática, caso os clubes entrem em acordo, garantindo estabilidade jurídica a quem apresentar a melhor proposta. E, se os clubes desejarem seguir numa negociação em separado, a Record reafirma que pretende apresentar propostas com padrões de transparência e regras claras", disse.

Botafogo, Corinthians, Coritiba, Cruzeiro, Flamengo, Fluminense, Grêmio, Palmeiras, Santos e Vasco anunciaram anteriormente que pretendem negociar separadamente os direitos de transmissão. O Corinthians, inclusive, pediu a sua desfiliação do Clube dos 13. Já Botafogo e Vasco pediram a revogação dos direitos concedidos à entidade.

Ver novo site

11:25 PM, 5/3/2011

http://jefersonfernandes.no.comunidades.net

Aprovada a nova fórmula para o futebol de botão 2011

10:08 PM, 5/3/2011

Foi aprovado neste sábado a nova fórmula para o futebol de botão em 2011, o número de participantes será de 28 clubes que vão integrar a elite do torneio sendo disputada em 2 turnos o campeão do primeiro turno enfrenta o campeão do segundo turno, se o campeão do segundo turno for o mesmo do primeiro ele srá o campeão brasileiro de 2011, 1 troféu, 1 medalha de ouro e uma de prata o mesmo jogador não pode utilizar 2 times na fianl somente um o outro terá que ser emprestado ao outro desde que combine qual clube será o campeão, a cada 5 rodadas os mebros participantes terão de arrecadar R$ 1,00 para fins do torneio. O campeonato começa em abril e no dia 3 a Rede Globo começa uma transmissão experimental do campeonato brasileiro de futebol de botão 2011 os jogos serão apenas amistosos, são eles:

Corinthians x Flamengo ( exibido para todo Brasil)

Grêmio x Santos ( exibido apenas para o estado de São Paulo)

Não perca

CBFB

Rede Globo

Blog Brasileirão de botão

Ambev

Vivo

Havaianas

Coca-Cola

Wolksvagen

Casas Bahia

Itaú

os melhores monentos serão mostrados aqui no dia 2/04/2011

o campeonato começa em abril sem data prevista será defienida na próxima quinta-feira.

 

Direção do comitê dos clubes se reunem amanhã para decidir como fica o Brasileirão de Botão

09:24 PM, 4/3/2011

Amanhã serão ouvidas novas propostas para a formúla do novo Campeonato Brasileiro de futebol de botão serão 4 propostas a serem analisadas sem fugir da propostas de 28 clubes na elite do futebol de botão serão eles: Corinthians, Vasco, São Paulo, Botafogo, Atlético-MG, Flamengo, Fluminense, Santos, Coritiba, Palmeiras, Atlético-PR, Grêmio, Avaí, Figueirense, Internacional, Cruzeiro, Bahia, Goías, Guarani, Ponte Preta, Portuguesa, Vitória, América-MG, Atlético-GO, Naútico, Sport Recife, Paraná e Grêmio Prudente. Esses times farão parte da elite este ano serão dois rebaixados mas pode não times rebaixados se uma outra proposta vencer. Bom espero que a proposta vencedora seja a melhor para todos os times e seus representantes. Atençao essa formúla é válida até 2014 quando uma nova será feita.

Boa Sorte.

Próxima semana deverá ser anunciado clubes que estarão no Brasileirão de botão 2011 e emissoras a transmitir o eventos

01:07 PM, 4/3/2011

Na próxima semana dia 10/03 a CBFB deve anunciar os 28 clubes que estão no projeto Brasileirão de Botão 2011 e mais as emissoras a exibirem o evento que são Rede Globo e BAND e mais emissoras de TV fechada e internet uma comissão associada ao evento deve julgar as prpostas de cada um dos membros e avaliar que é a melhor sendo obrigatório o número de 26 times no evento com qualquer tipo de fómula de disputa. O evento conta com os apoios da Casas Bahia, Itaú, Coca-Cola, Skol, Wolksvagen e Vivo. Não perca a partir das 16:30 no Rio de Janeiro, Rua Guanabara N° 35 Jardim Carioca- Ilha do Governador. Telefone (21) 3353-2562 (21) 24651815 (21) 3027-0542.

Golpe sujo no Clube dos 13

12:54 PM, 4/3/2011

Os meses que antecederam o racha no futebol brasileiro foram marcados por reuniões secretas, suspeitas de que havia telefones grampeados, mudanças de cardápio e ameaças veladas.

O diretor-executivo do Clube dos 13, Ataíde Gil Guerreiro, trocou de telefone celular. Estava convencido de que sua linha estava grampeada.

Interlocutores do presidente do Corinthians, Andres Sanchez, disseram à Folha que o cartola usou outro número, que não o habitual, para tratar de certos temas.
Os dois lados se acusam. Andres e os dirigentes de clubes cariocas, claramente alinhados à Globo, reclamam de favorecimento à Record durante as negociações.

"Tudo o que a gente conversava num dia, no outro o pessoal do São Paulo e da Record sabia", declarou o presidente do Corinthians.

O alvo da reclamação é o vice de comunicação e marketing do São Paulo, Julio Casares, que também é diretor de projetos especiais da Record. Gil Guerreiro é conselheiro do São Paulo.

"De um lado, eu não vendo direitos de transmissão. E, de outro, eu não compro", defendeu-se Casares.

Assuntos que eram resolvidos por telefone passaram a ser tratados apenas em encontros pessoais.

Até os almoços e jantares entre executivos de emissoras e cartolas mudaram seus endereços em São Paulo.

Uma tradicional churrascaria da zona oeste foi abandonada por ser considerada território da Record, assim como restaurantes na região da avenida Paulista foram deixados de lado por serem mando de campo da Globo.

Dirigentes também relatam terem ouvido ameaças veladas de uso do jornalismo por parte das emissoras.

Em 2001, foi ao ar um "Globo Repórter" com várias denúncias contra Ricardo Teixeira, à época investigado por duas CPIs. Como retaliação, a CBF marcou um jogo contra a Argentina para às 20h, horário que atrapalhou a grade da Globo.

No sábado passado, a Record exibiu reportagem com diversas acusações contra Andres Sanchez. Houve insinuações de que mais matérias desse tipo seriam realizadas. As emissoras negam ter havido qualquer ameaça.

Nesta semana, em que o Clube dos 13 lançou o edital que norteia a próxima negociação pelos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro, o Corinthians pediu desfiliação da entidade.

Os quatro grandes clubes cariocas querem negociar com as TVs separadamente, sem a tutela do C13. Há ainda um grupo de indecisos e outros times que lideram a "resistência", como São Paulo, Atlético-MG e Internacional.

Na segunda-feira, mais clubes vão se posicionar sobre o tema.

O presidente do Clube dos 13, Fábio Koff, acusa o mandatário da CBF, Ricardo Teixeira, e o chefe da Globo Esportes, Marcelo Campos Pinto, de estarem por trás do levante. Segundo Koff, Globo e CBF não querem uma concorrência transparente.

Os acusados afirmaram que vão responder na Justiça às acusações de Koff.

Rede Globo já negocia com 14 das 20 equipes do C13.

11:10 AM, 4/3/2011

 

Fora da concorrência organizada pelo Clube dos 13 pelos direitos de transmissão das próximas edições do Campeonato Brasileiro, a Rede Globo já trabalha nos bastidores para vencer a batalha contra suas principais rivais. De acordo com informações publicadas nesta sexta-feira pelo jornal Folha de S. Paulo, a emissora carioca já iniciou o trabalho de "corpo a corpo" com os dissidentes da associação e fez chegar ao mercado publicitário que já tem "bem encaminhadas" as conversas para adquirir os direitos do torneio de 2012 a 2014.

Segundo levantamento da publicação, a Globo, que contaria com o apoio da Band na disputa, já conversou com 14 das 20 agremiações que integram o Clube dos 13: Corinthians, Palmeiras, Santos, Botafogo, Flamengo, Fluminense, Vasco, Grêmio, Cruzeiro e Coritiba (todos que romperam com o C13 nas negociações), além de Goiás, Inter, Guarani e Vitória (que ainda não se posicionaram). Sobraria assim o grupo formado por São Paulo, Atlético-MG, Atlético-PR, Bahia, Sport e Portuguesa, que segue a favor da entidade.

Coritiba entra no Brasileirão de botão 2011

09:48 PM, 3/3/2011

A Direção do Coritiba informou nesta quinta-feira que está no Campeonato Brasileiro de futebol de Botão agora são 13 times que completam a associação de clubes do futebol de botão

1- Flamengo

2- Grêmio

3- São Paulo

4- Atlético-MG

5- Vasco

6- Internacional

7- Palmeiras

8- Cruzeiro

9- Botafogo

10- Corinthians

11- Fluminense

12- Santos

13- Coritiba

Olha só o que aconteceu dessa vez o câncer da TV Brasileira aprontou de novo

04:54 PM, 3/3/2011

Como se não bastasse era de se esperar que essa porcaria de TV fizesse a mesma coisa que a Rede Globo fez, isso é baixaria total.


Confira a nota da Record na íntegra:


"A Rede Record vem a público expressar preocupação com as reações ao modelo de negociação proposto pelo Clube dos 13. O formato foi desenvolvido como consequência de um acordo entre o Clube dos 13 e o CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica). Pelo que foi acertado, cláusulas que caracterizavam o favorecimento a um monopólio e impediam a participação de outros concorrentes de forma democrática e transparente foram proibidas.

O modelo anterior impôs aos clubes brasileiros o endividamento e a perda sucessiva de seus maiores talentos para outros países. Alguns clubes brasileiros passam meses sem parceiros patrocinadores porque camisas, luvas, bonés e até placas publicitárias são evitadas ou encobertas nas transmissões esportivas. Ainda existem alguns clubes brasileiros que simplesmente são ignorados durante a temporada e passam semanas sem que seus jogos sejam transmitidos.
A carta convite enviada pelo Clube dos 13 contempla uma concorrência transparente, séria, com regras claras. O documento exige propostas entregues em envelopes fechados e pressupõe declarar vencedor aquele que fizer a melhor proposta financeira para todos os clubes. O modelo é semelhante ao estabelecido pelo Comitê Olímpico Internacional para a disputa de direitos dos Jogos Olímpicos.

A Record detém os direitos de transmissão exclusivos dos Jogos Olímpicos de 2012, em Londres. Fez a melhor proposta e venceu. O mercado publicitário brasileiro - de forma ousada - correspondeu ao investimento da Rede Record e cobriu todos os custos de direitos e transmissão, além de gerar lucros. Parte do pacote olímpico já foi visto no Brasil com a premiada e pioneira cobertura esportiva dos Jogos de Inverno de 2010, de Vancouver, no Canadá. Prova inequívoca de que a Record quer inovar no esporte, tem apoio do mercado publicitário e retorno expressivo em audiência.

Este ano, em outubro, faremos o mesmo com os Jogos Panamericanos de Guadalajara.

A proposta do Clube dos 13 rompe com as obscuras negociações que favoreciam o monopólio e descaracterizavam a concorrência, impondo aos clubes valores e limitações exigidas pelos eternos favorecidos.

A Record reafirma o desejo de participar da concorrência do Clube dos 13, se os associados estiverem em acordo e unidos em busca de propostas que ofereçam alternativas para o torcedor brasileiro, melhorem arrecadações e ampliem a possibilidade de surgimento de novos patrocinadores.

Mas se os clubes desejarem uma negociação em separado, optando por outro modelo, a Record também pretende apresentar proposta, desde que as negociações sejam feitas seguindo padrões de transparência e regras claras. Ou seja, com a garantia de que a melhor proposta para a televisão aberta terá preferência.

Esta é a forma que a Record encontra para contribuir com a evolução e o desenvolvimento do futebol brasileiro, proporcionando ao torcedor acesso livre e gratuito ao esporte preferido da nação."

Resposta ao Clube dos 13 Rede Globo

09:29 PM, 1/3/2011

Anúncio Globo Clube dos 13 (Foto: Divulgação)

Negociações entre Clube dos 13 e TVs tiveram até grampo, diz jornal Além disso, segundo a Folha de S. Paulo, Record chega a ameaçar dirigentes

05:37 PM, 27/2/2011

 A negociação do Clube dos 13 com as emissoras de TVs segue com capítulos cada vez mais estranhos. Segundo o jonal Folha de S. Paulo, os negócios estão sendo tratados como uma verdadeira guerra, om direito a espionagem através de grampos de telefones.

Confira!
» Presidente do São Paulo anuncia construção de cobertura do Morumbi

Além disso, segundo a Folha de S. Paulo, a Record chegaou a ameaçar dirigentes de que exibiria reportagens para afetar a imagem de presidentes dos clubes contrários aos seus interesses.

“Tudo o que a gente conversava num dia, o pessoal do São Paulo e da Record sabia”, teria declarado o presidente do Corinthians, em referência ao vice de marketing do São Paulo, Julio Casares, que também é diretor de projetos especiais da Record.

Entenda
A partir de 2012, indo até 2014, um novo contrato será fechado. Um grupo de clubes quer negociar a transmissão de suas partidas do Brasileiro de forma separada do C13, que é atualmente quem cuida da venda dos direitos.

Só que, caso esses times vendam seus jogos para uma emissora diferente da vencedora da licitação feita pelo C13, pode acontecer uma grande confusão.

Um cenário possível é que a emissora detentora dos jogos de oito clubes, por exemplo, só possa veicular as partidas entre eles. Neste caso, confrontos entre times ligados a redes diferentes ficarão longe da TV.

Record registra queda de audiência desde 2008 agridir outras emissoras não vale.

03:24 PM, 27/2/2011

A Rede Record sempre se saiu bem quando o assunto era aumento de audiência, em meados de 2007, a emissora via seus índices aumentarem, e da principal concorrente diminuírem.

Mas os tempos são outros e a Record hoje em dia, registra grande queda de audiência generalizada.

Pois não vale a pena agredir as outras emissoras o povo sabe o que é certo e o que é errado.

Vejamos pelo principal produto da emissora, a novela “Ribeirão do Tempo”, a trama de Marcílio Moraes registra em torno de 12/13 pontos de média, diferente de “Prova de Amor” que teve 17 pontos de média, ou outras tramas que tiveram média maior de 14 pontos.

“Troca de Família” é outra atração que tambem registrou queda, o programa em 2008 marcava em torno de 16 pontos e muitas vezes chegava marcar 22 de picos, encaixando nos filmes exibidos as segundas pela TV Globo na “Tela Quente”, porém a atração marca boa audiência, mas bem inferior do que 2008.

O jornalismo da emissora tambem já não registra a audiência de antes, por exemplo, o “Domingo Espetacular” que registrava em torno de 15 pontos, não sai mais dos 12, a revista eletrônica perde audiência gradativamente, e só esse ano perdeu três vezes para o Silvio Santos, e na semana passada abriu apenas 1 ponto de vantagem.

O horário vespertino da emissora voltou a ser um problema, até reprises do SBT fica na frente da Record, exemplo disso é “Chaves” que na úlltima sexta alcançou mais de 8 pontos, e abriu 2 pontos de vantagem da Record.

Como podemos ver os números já não são como antes, e segundo o Ibope a Record perde 1% de sua audiência a cada ano desde 2008, isso pode parecer muito pouco, seria se a emissora não pretendesse crescer dois pontos por ano, e liderar no Ibope.

Será que Deus atendeu o meu apelo ?

Tomara que caia mais e mais até o fim pra ninguém ver essa droga de emissora.

Estamos indignados com o clube dos 13

11:22 PM, 25/2/2011

Leia, abaixo, o comunicado da Rede Globo na íntegra.

Os dirigentes efetivamente preocupados com os legítimos interesses dos seus clubes e, acima de tudo, os torcedores são testemunhas dos volumosos investimentos que a Rede Globo tem feito ao longo desses anos, numa parceria pelo aprimoramento do nosso futebol, na busca de um espetáculo emocionante, com profissionalismo e qualidade.

Essa contribuição tem se traduzido no crescimento das receitas dos clubes, não só através das receitas obtidas com a venda dos direitos de transmissão, bem como com a comercialização de outros direitos, incluindo propaganda nos uniformes e publicidade nos estádios.

As exigências e modificações nos conteúdos das plataformas implicam na desestruturação de um produto complexo, que foi construído ao longo dos últimos 13 anos, inviabilizando assim qualquer perspectiva de um retorno compatível com os investimentos na compra dos direitos.

As condições impostas na carta-convite não se coadunam com nossos formatos de conteúdo e de comercialização, que se baseiam exclusivamente em audiência e na receita publicitária, sendo incompatíveis com a vocação da televisão aberta que, por ser abrangente e gratuita, é a principal fonte de informação e entretenimento para a maioria dos brasileiros.

Assim é, em respeito ao interesse do público, que a Rede Globo se sente impedida de participar desta licitação e pretende manter diálogo com cada um dos clubes para chegarmos a um formato para a disputa pelos direitos de transmissão que privilegie a parte mais importante desse evento: o torcedor.

Copa União 1987 e Clube dos 13 – A Linha do Tempo e do Dinheiro

12:48 PM, 25/2/2011

Eu sei. É chato. Mas não acabou. Nem vai acabar.

É preciso ser ainda mais chato. Tentar mostrar a linha do tempo de quem perdeu a linha, mas não o dinheiro.

Tudo começa no início de 1986, quando Octávio Pinto Guimarães, ex-presidente da Federação do Rio, e Nabi Abi Chedid, ex-presidente da Federação Paulista, concorrem à presidência da CBF, em oposição a Medrado Dias, candidato apoiado por Giulite Coutinho, de elogiável atuação, entre 1980 e 1986. A disputa acirrada foi vencida pela oposição. Com uma jogada típica da parelha que assumiria (ou não) o comando (ou não) do futebol brasileiro. Como o estatuto da entidade previa, em caso de empate, a posse do candidato mais velho, o que daria vantagem a Medrado Dias, Nabi e Otávio inverteram a ordem da chapa horas antes da votação. O vice Octávio virou presidente. O presidente Nabi virou vice. E assim venceram. Sem, na prática, precisar da manobra. Ganharam por um voto. 13 a 12. Um voto foi anulado por estar rasurado.

Giulite Coutinho presidiu a CBF com notável correção de 1980 a 1986

E a trapalhada começou no dia da posse. Octávio não cedeu o comando do futebol totalmente como era previsto. Gostou do cargo, e não apenas das questões administrativas, financeiras e políticas. Nabi, raposa da política partidária, líder do PFL na Assembleia Legislativa paulista, estrilou, e começou a mandar do seu jeito. A duplicidade de poder ajudou a enxovalhar um futebol que perderia de vez o rumo no BR-86.

Octávio Pinto Guimarães presidiu a CBF de 17 de janeiro de 1986 a 16 de janeiro de 1989

CRÉDITO http://www.campeoesdofutebol.com.br/presidentes_cbf.html

 

BRASILEIRÃO DE 1986

A confusão é ainda maior e mais chata que a da Copa União e da criação do Clube dos 13. Melhor deixar que GUSTAVO POLI, em seu blog no globoesporte.com, resuma com a categoria usual:

“Em 1986, a CBF conseguiu (des) organizar o mais bagunçado Campeonato da história (e isso, amigos, é um feito). Era um monstrengo com 80 clubes divididos em 8 grupos de 10 – quatro de elite, quatro menos votados. Classificavam-se para a segunda fase os sete primeiros dos quatro primeiros grupos (28 clubes) e mais os vencedores dos grupos inferiores (4).  E, para  temperar com ácido a feiúra deste rostinho, ali pelo fim da primeira fase uma decisão do STJD (ele já existia) deu ao Joinville pontos de um jogo contra o Sergipe (por causa de doping). O Vasco, eliminado por isso, entrou na justiça comum para cassar a decisão. E conseguiu.

Para evitar uma guerra de liminares, a CBF tentou desclassificar a Portuguesa, por conta de um problema com ingressos. Os clubes paulistas reagiram solidários e ameaçaram boicotar a segunda fase. A entidade máxima, pois, encontrou uma solução salomônico-genial: botar todo mundo pra dentro. A segunda fase passou a ter 33 times. O problema é que com número ímpar de equipes ficou difícil fazer a tabela. A saída foi convidar mais três equipes pela janela – Santa Cruz, Sobradinho e Náutico. Essa vergonhosa zona – no primeiro ano de uma polêmica nova gestão na CBF (a dupla Otávio Pinto Guimarães – Nabi Abi Chedid) – plantou a “revolução” do ano seguinte.  No fim, o São Paulo foi campeão, derrotando o Guarani de Ricardo Rocha em Campinas e nos pênaltis. O América-RJ ficou em terceiro (depois de eliminar o Corinthians) e o Atlético-MG em quarto.

O detalhe a observar:  antes do Campeonato, e por pressão dos clubes, o Conselho Nacional de Desportos (CND) e a CBF acertaram que 1986 seria “classificatório” para 1987. Dos 44 times dos módulos de “cima” do torneio – 24 seriam classificados para a primeira divisão do ano seguinte. A confusão jurídica implodiu essa combinação – e evitou que dois times grandes disputassem a segundona num suposto campeonato de 1987 (Botafogo e Coritiba).”

http://globoesporte.globo.com/platb/gustavopoli 

 

E TEM MAIS!!!

 

Não era só a bagunça no BR-86. Era um Brasil que se ensaiava diferente, depois da ditadura militar. A eleição indireta de Tancredo Neves, em janeiro de 1985, iniciava a Nova República. Não tão nova assim quando o ex-(para sempre) situacionista José Sarney assumiu o poder, com a morte do presidente que nem posse chegou a tomar, em 21 de abril de 1985. A eleição do Congresso constituinte, em novembro de 1986, botou tudo no caldeirão político. Era hora de reformar o país. O futebol, ainda atrelado ao Ministério da Educação via Conselho Nacional dos Desportos (CND), também era pauta do dia. E plataforma de votos.

Melhor explica o jornalista UBIRATAN LEAL, titular do imperdível Balípodo. 

“Enquanto a CBF estava à deriva, os clubes já se organizavam para fazerem valer seus interesses. No caso, a maior preocupação era fazer lobby para incluir na pauta da Assembleia Constituinte um artigo que lhes desse autonomia de organização e funcionamento. A campanha foi bem sucedida e a união de clubes ganhou força. Em abril de 1987, Flamengo e São Paulo se negaram a ceder seus jogadores para uma excursão da Seleção Brasileira à Europa e tiveram respaldo do CND. Márcio Braga, presidente do Flamengo na época, saiu da reunião que anulou a convocação da Seleção dizendo, triunfante, que era o “fim do autoritarismo no futebol brasileiro”.

Em junho de 1987, Octávio Pinto Guimarães anunciou: “a CBF não tem condições de organizar o Campeonato Brasileiro deste ano”. O motivo era a falta de dinheiro para arcar com as viagens dos times e outras despesas da competição. Sob o risco de ficar sem a competição que já era a mais importante do calendário, os grandes clubes resolveram tomar as rédeas da situação. “Liguei para o Nabi e perguntei se era sério o que o Octávio falava. Ele disse que era e ‘deu a bênção’ para que organizássemos o campeonato se quiséssemos”, conta Carlos Miguel Aidar, presidente do São Paulo e do Clube dos 13″

 http://www.balipodo.com.br/

 

PONTAPÉ INICIAL

* 22/06/87 – Carta de Curitiba:  26 federações estaduais pedem à CBF que o BR-87 tenha 28 clubes.

* 07/07/87 – Presidente da CBF Octávio Pinto Guimarães diz que CBF não tem dinheiro para fazer BR-87. Está tentando patrocínio de 100 milhões de cruzados para bancar despesas. Se não conseguir, clubes teriam de se virar com passagens e hospedagens. Outra opção seria um torneio regionalizado. Falência financeira tem a ver também com a queda na arrecadação da Loteria Esportiva. “Em 1986, o BR-86 custou 35 milhões de cruzados. 28 deles vieram da Loteca”.

Se arrumar a grana, Octávio pensa num torneio com 28 clubes e mais o Botafogo-SP, que ganhou vaga na Justiça Esportiva.

Isto é: não apenas não havia dinheiro e competência. Não se sabia quantos clubes seriam. E quantos a Justiça Esportiva (ou não) enfiaria no campeonato.

* 08/07/87 – José Maria Marin, presidente da FPF, quer um BR-87 com no máximo 29 clubes. E prevê a torrente de liminares em todas as esferas.

Vai ser um campeonato mais disputado na Justiça comum do que no campo.

José Maria Main, presidente da FPF (Federação Paulista de Futebol) 

* 09/07/87 - Nabi Abi Chedid, quem de fato apitava no futebol da CBF, afirma que pretende um BR-87 com 44 clubes. Um tanto diferente da promessa eleitoral feita em 1986: 20 clubes. Ainda em 1986, pouco antes do início do confuso BR-86, a entidade determinara 24 equipes no BR-87… Durante a querela jurídica daquele ano, ampliaram de 24 para 28 clubes o BR-87. Dias antes de falar em 44 clubes, Nabi cogitava dois módulos de 32 clubes… Coerência matemática não era o forte do cartola patrono do Bragantino.

* 11/07/87 – Depois de reunião no Morumbi, em São Paulo, é fundada a União dos Grandes Clubes Brasileiros. Para os íntimos, Clube dos 13. Os quatro maiores do Rio (Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco), os quatro maiores de São Paulo (Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo), os dois maiores de Minas Gerais (Atlético Mineiro e Cruzeiro), os dois grandes do Rio Grande do Sul (Grêmio e Internacional) e o Bahia como único representante do futebol nordestino.

Nós queremos o poder

Carlos Miguel Aidar, presidente do São Paulo e do Clube dos 13

PROPOSTAS BÁSICAS DO CLUBE DOS 13 – AO MENOS NA ATA DE FUNDAÇÃO

1. BR-87 com 13 clubes, turno e returno, campeões se enfrentam em finais com o time que fizer mais pontos, num triangular. (Modelo semalhante ao campeonato do Rio de então).

2. C13 abre mão da verba da Loteria Esportiva em 1987 – principal fonte de receita na época.

3. Querem Divisão A com 16 clubes em 1988. Divisão B com 16. Série C regionalizada. Acesso e descenso entre as divisões a partir de 1989. (No máximo aceitam 20 clubes na primeira divisão em 1988).

4. Diminuir o número de clubes nos nacionais e estaduais a partir de 1988.

5. Jogos só no fim de semana em 1988. No máximo cinco rodadas nas quartas-feiras – ALELUIA!

6. Conselho  Arbitral nas séries A e B. Conselho dos clubes decidiria fórmulas de disputa dos campeonatos – uma novidade aprovava um ano antes pelo CND.

7. Só os clubes votariam nas eleições na CBF – os presidente das federações estaduais compunham o colégio eleitoral até então.

8. Voto qualitativo – determinado pela classificação das equipes nos campeonatos. Desse modo, teoricamente, os grandes clubes de maior torcida poderiam ter maioria de votos contra os clubes menores.

9. Convocação de jogadores para a Seleção seria facultativa, e clubes teriam de ser previamente consultados antes da divulgação da lista – absurdo em qualquer época.

10. Calendário planejado e fixo a partir de 1988- utopia desde então.

* 12/07/87 – Clubes pernambucanos são os primeiros a se posicionarem contrários ao C13. Portuguesa e Guarani também são contra em São Paulo. América também se posiciona a favor da CBF, no Rio. Oswaldo Teixeira Duarte, presidente da Portuguesa, se irrita de não ser chamado a participar do C13. “É o clube dos enforcados”. Aidar rebate dizendo que “Portuguesa, América e Bangu não são clubes grandes. Nem pequenos. São médios”.

* 14/07/87 – Nabi Abi Chedid ameaça desfiliar todos os membros do Clube dos 13 se não participarem do BR-87. Só as Federações de Minas e Rio estão apoiando C13. Rio Grande do Sul e Bahia são frontalmente contrários.  Ministro da Educação Jorge Bornhausen (PFL-SC) diz que o ministério “não vai se envolver no assunto”. 

* 22/07/87 – C13 quer negociar convocação da Seleção para Pan-Americano e o Brasileirão. Nabi não quer jogo e nem papo.

* 23/07/87 – Seguindo a praxe daqueles dias de muitas brigas em todas as esferas da Justiça, Nabi ameaça clubes que não cederem jogadores para a Seleção dirigida por Carlos Alberto Silva.

* 24/07/87 – C13 aceita BR-87 com dois módulos de 16 clubes. Mas não libera atletas para a Seleção.

* 13/08/87 – Nabi anuncia a primeira rodada do BR-87. Diferente da ideia do C13. Na proposta, CBF defende cruzamento entre os vencedores do Módulo Verde (que corresponderia à primeira divisão) e do Módulo Amarelo (mais 16 clubes, entre eles o vice de 1986,o Guarani, e o 3o. colocado do BR-86, o Améric-RJ). No Verde estão os membros do Clube dos 13 mais Santa Cruz (time do senador Marco Maciel, PFL-PE), Coritiba e Goiás.

Ministro Jorge Bornhausen propõe aos presidentes da CBF e C13 o cruzamento dos módulos. C13 não quer. Não havia Ministério do Esporte na época.

Jorge Bornhausen. Ministro da Educação (PFL-SC) do governo José Sarney

* 17/08/87 – Federações querem destituir a dupla Octávio e Nabi do comando da CBF.

* 18/08/87 – Clube dos 13 divulga a sua tabela para o BR-87. Presidente do CND, Manuel Tubino, descarta intervenção na CBF.

* 23/08/87 – Batalha de liminares e mandados na Justiça Esportiva e comum entre presidentes das federações estaduais pedindo a convocação de Assembleia Geral da entidade.

* 26/08/87 – Nabi anuncia que BR-87 começa em 5 de setembro.

* 27/08/87 – Caixa Econômica Federal, a  dona da famigerada Taça das Bolinhas (a Copa Brasil instituída em 1975), decide não incluir jogos do Clube dos 13 na Loteria Esportiva. Clube dos 13 entra em campo e na arquibancada pedindo apoio da torcida ao campeonato por eles proposto.

* 31/08/87 – Na sede do Flamengo, numa reunião numa segunda-feira, Clube dos 13 decide definitivamente não participar do BR-87 que começaria no sábado seguinte. Eles pretendem começar em 12 de setembro a Copa União, um torneio organizado por eles, independente da CBF. 

Enviaram ao presidente da CEF, Maurício Viotti, documento dizendo que não participarão da Loteria Esportiva.

* 01/09/87 – Nabi afirma que não haveria um campeonato paralelo ao BR-87.

Esse torneio é pirata. Não existe, não é oficial.

Nabi Aid Chedid tentava acabar com o Clube dos 13 e, ao mesmo tempo, estava costurando um acordo com o governador paulista Orestes Quércia (PMDB) para que, ao sair da CBF, voltasse a comandar a FPF, presidida pelo presidente paulista de seu partido, José Maria Marin. Como líder do PFL na Assembleia Legislativa, Nabi trabalhava por Quércia no primeiro ano do mandato, um ano antes da eleição para a prefeitura paulistana, em 1988.

As principais federações são contra Copa União. Comissão Brasileira de Árbitros, a princípio, também é contra a Copa bolada pelo C13.

Presidente do C13, Carlos Miguel Aidar, admite pela primeira vez negociar vagas na Libertadores-88 com clubes de outro módulo, o Amarelo, na teoria a segunda divisão do BR-87.

* 02/09/87 – Cartolas de 16 dos 19 clubes dos módulos verdes e amarelos apoiam a CBF contra o clube dos 13. Reunidos na Portuguesa, entendem que o C13 é radical. E que os clubes chamados grandes temem enfrentar clubes menores.

* 03/09/87 – Quinta-feira, antevéspera do início do BR-87 – segundo a ideia da CBF… ACORDO SELADO. Octávio Pinto Guimarães, presidente da CBF, aceitou proposta das federações do Rio, São Paulo, Minas, Rio Grande do Sul e Bahia. A proposta conciliatória de Eduardo Vianna, o Caixa D’Água. Em vez de um campeonato só do C13, mais 3 clubes convidados (Santa Cruz, Coritiba e Goiás).

O BR-87 teria quatro módulos de 16 clubes.

O campeão brasileiro de 1987 seria o vencedor do Módulo Verde, com os 13 do Clube, mais os três convidados.

As duas vagas da Libertadores de 1988 seriam decididas em janeiro do mesmo ano, num quadrangular entre os dois primeiros colocados do Módulo Verde (na prática a primeira divisão) e os dois primeiros do Módulo Amarelo (na prática, a segunda divisão).

A princípio, a fórmula que o bom senso mandaria acolher…

Acordo fechado no Copacabana Palace, no Rio, na quinta-feira, 22h30. Federações queriam chamar Troféu João Halevange o Módulo Verde. C13 prefere Copa União. Rodada que seria no sábado foi cancelada. Seria reformulada para o outro fim de semana.

* 04/09/87 – Rede Globo de Televisão vai pagar US$ 3,4 milhões para transmitir com exclusividade a Copa União. Quase 166 milhões de cruzados. Cotas iguais para os 13 membros do C13. O que daria 12,8 milhões de cruzados. Os três clubes convidados ganhariam metade da cota de cada membro fundador do C13. TV transmitiria 42 dos 78 jogos da Copa União. Três vezes por semana. Na época não havia televisão por assinatura.

Um jogo seria exibido ao vivo na noite de sexta-feira. Até para a cidade da partida. Mais um jogo na tarde de sábado. No domingo, um sorteio seria realizado 15 minutos antes das quatro partidas previstas para as 17 horas. A partida que fosse sorteada seria transmitida ao vivo para todo o país, inclusive para a própria praça.

Ibope divulga pesquisa: 92% dos cariocas e paulistanos aprovam a Copa União com 16 clubes.

Sport Recife avisa por intermédio de seu vice, Marcelo Bivar, que os clubes do módulo amarelo NÃO ACEITAM DISPUTAR BRASILEIRÃO SEM CRUZAMENTO DOS MÓDULOS. ELES ENTENDEM QUE O MÓDULO AMARELO ACABOU VIRANDO A SEGUNDA DIVISÃO, PELA PROPOSTA DO C13.

Para o vice do Guarani, José Carlos Hernandes:

 Balela dizer que haverá cruzamento dos módulos… O campeão brasileiro será o vencedor do Módulo Verde. Não tem jeito.

* 05/09/87 – Sport quer evitar que TV Globo transmita partidas no mesmo horário de jogos dos outros módulos do Brasileirão. E pretende negociar  jogos do clube pernambucano com outras emissoras. Luta encampada por muitos presidentes de clubes menores e por presidentes das federações estaduais. Desde os anos 60 clubes e federações brigavam com transmissão ao vivo de grandes jogos com o receio (justificado) de que pudesse tirar público dos estádios. O torcedor iria preferia assistir pela TV ao Zico jogando em algum canto do Brasil a ir ao estádio torcer pelos clubes locais. 

* 06/09/87 – Antonio Castro-Gil, secretario-executivo do Módulo Verde, acredita que 90 milhões de cruzados serão gastos com hospedagem e avião na Copa União. O secretário-executivo do C13, José Carlos Villela, pretende o fim do acúmulo de cartões amarelos e a instituição de um tribunal de penas na Copa União para substituir a morosidade e uma suspeita parcialidade da Justiça Esportiva, onde Villela deitou e rolou nos anos 60 e 70.

* 07/09/87 – A companhia aérea Varig (a principal do Brasil e uma das melhores do mundo) e a Rede Othon de hotéis serão parceiras do C13. O matemático Oswald de Souza fará a tabela da Copa União. Em poucas semanas o departamento de marketing do Clube dos 13, tocado por Celso Grellet (São Paulo) e João Henrique Areias (Flamengo) fechou com Globo, Varig e Othon. Algo que nem em sonho a CBF conseguia fazer. A ruptura mais que se justificava. Varig pagaria 20 milhões de cruzados (desconto de 50% no preço das passagens).

* 08/09/87 – Nabi não divulgou tabela do BR-87 como se esperava. Também porque houve novo racha. C13 não quer acesso e descenso em 1987. Clubes do Módulo amarelo querem já este ano. Nabi quer jogar tudo pelos ares:

A TV ficou mais importante que a CBF. Jogo aos domingos ao vivo é a morte do futebol

Clubes do Módulo Amarelo propõe na sede do América carioca o modelo de campeonato para o ano seguinte: Os 12 primeiros do Módulo Verde de 1987 + 6 primeiros do Módulo Amarelo de 1987. Um playoff entre o 13o. e 14o. do Verde contra o 7o. e 8o. do Amarelo definiria mais duas vagas para fechar o BR-88 com 20 clubes. A segunda divisão teria 24 clubes.

Era um modo de o Módulo Amarelo minimizar prejuízos. E também entender que eles realmente se sentiam disputando a segunda divisão do BR-87. A proposta foi encabeçada por Fred de Oliveira, presidente da Federação de Pernambucano.

* 09/09/87 – O BR-87 começaria na sexta-feira. E só na quarta-feira a tabela foi apresentada…

Clubes do Módulo Amarelo insistem no cruzamento entre os Módulos para definição do campeão brasileiro de 1987. Eurico Miranda, diretor de futebol do Vasco, dos mais atuantes membros do C13, responde, resumindo a ideia e os modos da nova entidade:

Esses caras [do Módulo Amarelo] estão malucos. Eles querem tudo!

Eurico Miranda é acusado por quase todas as partes de ter feito jogo duplo durante todo o processo do Clube dos 13 e Copa União

Presidente do Sport, Homero Lacerda, disse que iria ao presidente José Sarney para denunciar venda irregular dos direitos de TV. “O Clube dos 13 vendeu para a TV Globo algo que não é deles”. Nabi Abi Chedid deu de ombros: “Não sei nada disso dos direitos da TV”.

Fred de Oliveira, da Federação de Pernambuco, disse que times do módulo amarelo “NÃO ENTRARÃO O EM CAMPO ATÉ QUE SE DEFINA O CRUZAMENTO DOS MÓDULOS AINDA EM 1987″.

OFICIALMENTE foi definido o regulamento pelo C13, no Hotel Transamérica, em São Paulo:

1. Não haverá rebaixamento no BR-87.

2. Clubes do Módulo Amarelo poderão subir para a elite, mas apenas no BR-88. Seriam os 4 primeiros.

3. CRUZAMENTO COM CAMPEÃO E VICE DO VERDE COM CAMPEÃO E VICE DO AMARELO SERIA APENAS EM JANEIRO DE 1988. MAS APENAS PARA DEFINIR OS DOIS BRASILEIROS NA LIBERTADORES-88. NÃO O CAMPEÃO BRASILEIRO DE 1987. C13 INSISTIA QUE O CAMPEÃO DE 1987 SERIA CONHECIDO EM 13 DE DEZEMBRO. SEM CRUZAMENTO ENTRE OS MÓDULOS.

* 11/09/87 – 21H30. Pacaembu. Palmeiras 2 x 0 Cruzeiro. Jogo inaugural da Copa União. Com TV Globo transmitindo também para São Paulo. Presidente da FPF diz que vai entrar na Justiça contra TV ao vivo quando tiver jogos de outras divisões do futebol paulista. “O futebol não pode ficar subordinado aos caprichos de uma emissora de televisão”. Nabi concorda com Marin. Também não queria televisionamento ao vivo. Chegou a dizer que Octávio Pinto era “safado e que aceitou pressão da TV”. Octávio teria retrucado:

Nabi, você acha que eu vou brigar com a Globo?

Rede Globo fechou contrato de cinco anos por US$ 18, 5 milhões. Algo em torno de 925 milhões de cruzados.

Preço dos ingressos definido: geral 50 cruzados, arquibancada 100, numerada descoberta 250, numerada coberta 500 cruzados.

Guarani entra na Justiça para ser incluído no Módulo Verde. Como vice de 1986, e terceiro colocado em arrecadação.

Enquanto Palmeiras x Cruzeiro começavam o campeonato no Pacaembu, DIRETORIA DA CBF DECIDIU QUE HAVERIA CRUZAMENTO ENTRE MÓDULOS VERDE E AMARELO AINDA NO FINAL DE 1987.

E OS CLUBES QUE SE RECUSASSEM A JOGAR NO FIM DE SEMANA SERIAM SUSPENSOS…

ISTO É: NA NOITE EM QUE COMEÇOU O CAMPEONATO, CBF DEFINIU QUE HAVERIA CRUZAMENTO ENTRE OS MÓDULOS.

ISTO É: O CAMPEONATO  COMEÇOU NA PRÁTICA SEM O REGULAMENTO DEFINIDO.

ISTO É: JÁ COMEÇOU ERRADO. POR CULPA DA CBF E DO PRÓPRIO CLUBE DOS 13, QUE CONFIOU DEMAIS NA ENTIDADE. OU DEMAIS EM EURICO MIRANDA, O CARTOLA ESCALADO PARA A TAREFA DE NEGOCIAR O REGULAMENTO. PARA ALGUNS PARES DO C13, EURICO FEZ JOGO DUPLO.

Na mesma tarde, CND decidiu voto qualitativo nas federações, conselhos arbitrais dos clubes, e limitações de clubes nas divisões… Inegáveis avanços num meio apodrecido.

Uma das resoluções do CND ajudava o C13 na luta contra o cruzamento dos módulos para definição do campeão brasileiro de 1987: A cota máxima de 20 clubes por divisão, em tese, impediria que os 16 do Módulo Verde se “juntassem” aos 16 do Módulo Amarelo para definir o campeão. Na prática, seria um campeonato de 32 clubes na Primeira Divisão. Algo vetado pelo CND.

* 12/09/87 – Ato público na Praça da Independência,no Recife, contra Copa União. Sport e Náutico prometem não disputar o Módulo Amarelo.

Nabi afirma aos revoltosos que pretende fazer o cruzamento dos módulos ainda em 1987.

Oito dos 16 clubes do Módulo Amarelo decidem não entrar em campo num campeonato em QUE DESCONHECEM O REGULAMENTO.

*13/09/87 – Média de público de 19 mil na primeira rodada da Copa União. A melhor desde 1983. No primeiro sorteio do jogo das 17h, deu bola 2. E deu a melhor partida. Atlético Mineiro 5 x 1 Santos foi o jogo transmitido para todo o país, inclusive para Belo Horizonte. O sorteio foi realizado no estádio do Morumbi. Equipes de repórteres da Globo ficavam em cada estádio. O locutor Galvão Bueno e o comentarista Carlos Alberto Torres ficavam no estúdio, no Rio. O Ibope da Globo foi de 32%. O SBT, com o Programa Silvio Santos, deu 28%. A Bandeirantes, com o “Show do Esporte”, teve 2%. 

As partidas dos campeonatos de divisões inferiores em São Paulo tiveram uma queda de 40% de bilheteria com a transmissão do jogo ao vivo da Copa União, que iniciou no segundo tempo das partidas paulistas.

Só um jogo foi realizado no Módulo Amarelo. CSA 0 X 1 Guarani. Outros sete não foram realizados por W.O. dos times que querem conhecer o regulamento do Módulo antes de entrar em campo.

* 15/09/87 -  Reunidos no América, no Rio, clubes do Módulo Amarelo decidem entrar no STJD querendo interrupção do BR-87 e convocaçao do Conselho Arbitral.

* 16/09/87 – Octávio pensa em renunciar à presidência da CBF porque Nabi estaria extrapolando no comando do futebol. Marin ameaça Globo e C13 com medidas na Justiça contra televisionamento ao vivo. Eurico Miranda rebate e diz que Copa União e TV estão garantidos independendo de ameaças. Federações e até a própria CBF querem jogos no domingo uma hora mais tarde, às 18h. Mas Globo não quer negócio para não atrapalhar exibição de “Os Trapalhões”.

SBT deverá transmitir jogos do Módulo Amarelo. Executivos da emissora Guilherme Stoliar e Walter Zagari negociam com os clubes. Emissora é a segunda do país.

* 17/09/87 – 21 federações estaduais querem votar impeachment de Octávio e Nabi. Motivo não é apenas a bagunça no BR-87. Também as dívidas que vieram da gestão anterior, e se multiplicaram. O saldo devedor é de 22 milhões de cruzados. Mesmo com os 36 milhões faturados na Copa-86, os 4,8 milhões pela Copa América-87, e os 17 milhões pagos pela Topper, fornecedora de material esportivo da seleção.

* 18/09/87 – Carlos Miguel Aidar defende calendário brasileiro atrelado ao europeu. Apesar de alguns abusos e absurdos, do verniz elitista e do diálogo restrito, de joelhos para os parceiros e patrocinadores, os líderes do C13 eram muito avançados para a época. Também pelo ranço dos cartolas de antanho que ainda deixavam CBF e federações entrevados na Idade da Bola Lascada.

* 19/09/87 – TV Globo e C13 (com o aval discreto de Octavio) marcam jogos da segunda rodada para 17h. CBF (isto é, Nabi) e a Federação Paulista querem 18h. Eurico Miranda euriqueia:

 O Octavio deveria ir para a casa. A CBF acabou. Os jogos vão ser 17h e acabou.

* 20/09/97 –Palmeiras x Santos jogam no Pacaembu. Times entram em campo 16h50 para não perderem cota da TV Globo, que programa partida para as 17h. Mas árbitro da partida se recusa a iniciar jogo no horário da grade da TV. Na escala da CBF, a partida começa 18h. Clubes, treinadores, atletas e torcedores presentes reclamam. Mas o jogo só teve início sob vaias e frio às 18h. E ficou num empate sem gols melancólico como o jogo de empurra o relógio.

Um jogo apenas começou 17h. Bahia x São Paulo. O presidente da federação baiana Antonio Pithon, também integrante da Cobraf, deu força ao árbitro Arnaldo César Coelho para iniciar a partida no horário dileto da Globo e do C13. Arnaldo poderia ser punido pela CBF por isso.

No Módulo Amarelo, desta vez, rodada completa. Menos o América carioca. que se recusa a participar do campeonato, sentido-se preterido como terceiro colocado no BR-86. Os 15 clubes em campo: Sport, Náutico, Vitória, Atlético Paranaense, Bangu, Guarani, Portuguesa, Internacional de Limeira, Criciúma, Joinville, Atlético Goianiense, Ceará, Treze, CSA e Rio Branco-ES.

TV Manchete não chama o torneio de Copa União. Outras emissoras de TV e rádio têm problemas comerciais com a exposição excessiva da Coca-Cola. Pepsi-Cola contra-ataca em várias frentes, mídias e clubes. Não havia vestais no mercado.

*21/09/87 –Reunido da Toca da Raposa, C13 dá ultimato a CBF”: Não quer dar mais 5% da renda pra entidade. Quer contrato de merchandising. Quer o regulamento definido na Copa União – e sem cruzamento de módulos. E definiu grana da TV para os convidados Santa Cruz, Coritiba e Goiás.

Octávio convoca Assembleia Geral de Clubes da CBF.

José Maria Marin rompe formalmente a Federação Paulista com a CBF.

* 22/09/87 – Selada paz armada entre presidente da CBF e do C13. Depois de três horas de reunião no Rio de Janeiro.

Definido horário das 17h pros jogos de domingo, e 21h30 pras partidas de meio de semana. Clubes não precisam mais repassar 5% pras federações. C13 dará parte da grana da TV pra CBF.

CBF divulga regulamento. Módulo verde se chama Troféu João Havelange. Módulo amarelo se chama Troféu Roberto Gomes Pedrosa (como o Rio-São Paulo, e o Robertão, de 1967 a 1970).

O cruzamento dos dois módulos se chama Copa Brasil. Nome do torneio instituído a partir de 1975. O da Taça das Bolinhas.

Pela ideia expressa pelo regulamento, HAVERIA O CRUZAMENTO DOS MÓDULOS PARA DEFINIÇÃO DO CAMPEÃO BRASILEIRO DE 1987. É O QUE ESTÁ NO REGULAMENTO. MAS NÃO O QUE HAVIA SIDO PREVIAMENTE ACORDADO.

ISTO É: APENAS DEPOIS DA SEGUNDA RODADA O REGULAMENTO DA COPA UNIÃO FOI DEFINIDO. E SOB SUSPEITAS.

Márcio Braga, presidente do Flamengo, vice do C13, quer Carlos Miguel Aidar como presidente da CBF a partir de 1989. Deputado federal constituinte pelo PMBD-RJ, pretende se lançar candidato a prefeito carioca em 1988. E quer o comando do futebol até lá nas mãos de Octavio, e não do paulista Nabi.

 Márcio Braga era presidente do Flamengo e vice-presidente do Clube dos 13 

* 23/09/87 – 20 federações estaduais se reúnem em São Paulo e formalizam documento pedindo saída da cúpula da CBF.

* 25/09/87 – Presidente José Sarney envia carta à Fifa confirmando interesse do Brasil em sediar a Copa de 1994.

* 28/09/87 – Genro de João Havelange confirma que é candidato à presidência da CBF, em janeiro de 1989. O empresário Ricardo Teixeira disse ser favorável ao impeachment de Octávio “assim como 22 dos 26 presidentes de federações”.

Ricardo Teixeira seria eleito presidente da CBF em 16 de janeiro de 1989

Caiu a média de público da Copa União.

CBF apresenta caderno de encargos para tentar sediar a copa de 1994. Estados Unidos e Marrocos são os principais concorrentes.

* 30/09/87 – América-RJ não quer jogar Módulo Amarelo. CBF ameaça suspendê-lo por um ano.  Módulos Azul (com clubes de Sul, Sudeste e Centro-Oeste) e Branco (Norte e Nordeste), que correspondem à terceira divisão, ainda não começaram. Falta dinheiro e definição do número de clubes. Devem ser 48 ao todo.

C13 vende por US$ 17 milhões (867 milhões de cruzados no câmbio oficial) e por cinco anos o meio-campo dos gramados para a Coca-Cola. O símbolo da marca será pintado no cento do campo. Os atletas terão de dar entrevistas na frente de um painel da companhia. Coca-Cola queria que equipes entrassem juntas no gramado pisando num tapete vermelho com o logo do refrigerante. Nove dos 16 clubes vão ser patrocinados pela marca: Fluminense, Vasco, Botafogo, Atlético Mineiro, Cruzeiro, Grêmio, Bahia, Goiás e Santa Cruz. Flamengo (Petrobras), Corinthians (Kalunga, 1 milhão de cruzados), São Paulo (Bic), Palmeiras (Agip, num contrato de 400 mil cruzados), Santos (Suvinil), Internacional (Aplub), Santa Cruz (Banorte) deverão vestir Coca-Cola no BR-88.

Editora Abril vai fazer álbum de figurinhas por 28 milhões de cruzados.

Dover (indústria de materiais plásticos) fará produtos com emblemas do C13 e dos clubes.

Previsão de renda global de US$ 40 milhõe em 5 anos (4 bilhões de cruzados).

C13 fechou participação dos 4 primeiros colocados da Copa União-87 em torneios de verão na Espanha, em agosto de 88.

01/10/87 -Nabi confirma que HAVERÁ CRUZAMENTO DOS MÓDULOS VERDE E AMARELO EM JANEIRO DE 1988.

O quadrangular com os dois finalistas do Módulo Verde e os dois do Módulo Amarelo definirá o campeão brasileiro de 1987 e os dois representantes brasileiros na Libertadores-88. Fala Nabi:

O regulamento é o mesmo para os dois Módulos.

Enquanto isso, governo brasileiro propõe 17 estádios para a Copa de 1994… 

05/10/87- Clube dos 8 é formado e desiste de participar dos Módulo Azul e Branco (a terceira divisão). Americano é o ííder. Comercial-MS é mais um clube que desiste da terceira divisão. Pedro Lopes, diretor de furtebol da CBF, anuncia que campeonato começa no outro fim de semana.

* 06/10/87 – Clube dos 8 recua e diz que vai participar da Terceirona…

* 09/10/87 – Morumbi tem centro do gramado pintado de Coca-Cola em tinta branca de látex. Outros estádios também terão de pintar logotipo da empresa. Mas como alguns deles pertencem a Estados ou municípios, o processo é mais complicado.

Eurico Miranda defende 20 clubes no BR-88 (os 16 do Módulo Verde do BR-87 + 4 que subiriam do Módulo Amarelo). A explicação do cartola vascaíno:

Os grandes clubes precisam jogar contra times menores num campeonato para darem uma respirada.  

 * 10/10/87 – Pesquisa Datafolha: 67% dos paulistanos apoiam Copa União.

 América do Rio desiste do Módulo Amarelo e faz amistosos pelo Norte e Nordeste.

 Ricardo Teixeira corre o Brasil articulando apoios das federações para a eleição de janeiro de1989 na CBF.

 Carlos Eduardo Moreira Ferreira, vice da Federação das Indústrias de São Paulo, em entrevista à “Folha de S.Paulo”, diz que Copa União é um sucesso:

Não se pode expor um Muller [atacante do São Paulo e da Seleção] a uma botinada de um Zezinho da Silva, do Arapiraca.

 * 12/10/87 – Clube dos 13 articula lançar Aidar à presidência em oposição a Ricardo Teixeira, que seria apoiado pelas 22 federações que querem impeachment de Octávio-Nabi.

* 14/10/87 – Fifa (presidida pelo brasileiro João Havelange desde 1974) proíbe publicidade da Coca-Cola no centro de campo. Como até as baratas da CBF poderiam imaginar, como nenhuma das boas cabeças do C13 ousou questionar e averiguar o mercantilismo explícito e invasivo.

Tribunal Federal de Recursos determina reunião na CBF para análise de impeachment do presidente.

* 15/10/87 – C13 peita a Fifa e resolve manter merchandising abusivo da Coca-Cola no centro dos gramados. Também porque parceira avisa que reduziria 50% da cota paga ao Clube dos 13 se o logotipo do refrigerante não fosse mais pintado dentro de campo. Carlos Miguel Aidar, presidente do C13 e do São Paulo, respondeu no melhor do pior estilo do neocartolismo:

No Morumbi mando eu, não o Havelange.

Aidar defende o fim dos estaduais, que passariam a ser, a partir de 1989, apenas classificatórios para os diversos módulos brasileiros.

CBF consegue liminar contra a Assembléia Geral da entidade.

* 16/10/87 – Última rodada da primeira fase do Módulo Verde. Oito clubes do Grupo A jogaram contra os 8 clubes do grupo B. Ao vencer o Fluminense por 3 a 1 no Mineirão, o Atlético Mineiro de Telê Santana encerrou a primeira fase como melhor do campeonato. Foram 6 vitórias e dois empates. O único invicto. Líder do Grupo A, classificou-se automaticamente para a fase decisiva do Módulo Verde (a Copa União). No Grupo B, mesmo perdendo para o Corinthians em São Paulo, o Internacional assegurou a passagem para as semifinais como campeão do turno.

Telê Santana foi campeão brasileiro pelo Galo em 1971, e fez grande campanha em 1987

* 17/10/87 – Olimpico, Mineirão e Couto Pereira mantém o símbolo da Coca-Cola no gramado apesar da proibição da Fifa. José Carlos Villela, diretor-executivo do Clube dos 13, apela como qualquer cartola de antanho – e de sempre – contra a proibição da Fifa que, de fato, apenas reitera o que está escrito na regra do jogo, e ninguém do C13 quis ler, ou mesmo imaginar, rebaixando-se ao mesmo nível abissal dos cartolas que tentavam expurgar:

Interferir no Campeonato Brasileiro é interferir na soberania nacional!

* 19/10/87 – C13 apresenta alternativa à proibição da Fifa e decide pintar dentro das metas a marca da Coca-Cola.

C13 apresenta proposta de calendário para 1988: BR-88 de fevereiro a junho.  Julho para a Seleção. Agosto para excursões de clubes. Setembro a dezembro os estaduais. Tão boa e tão simples que, claro, não poderia dar certo.

* 20/10/87 – C13 desiste de pintar dentro da meta logo da Coca quando alguém resolve ler o livro de regras do futebol …

Eduardo José Farah, vice-presidente da FPF,  é o candidato de José Maria Marin para a presidência da Federação Paulista. Farah quer acabar com a Copa União e com todos os campeonatos brasileiros!!!

Eduardo Farah assumiria a FPF em janeiro de 1988 e sempre tentou ser candidato à presidência da CBF

Editora Abril lança álbum de figurinhas do Brasileirão no final do primeiro turno.

* 21/10/87 – Coca-Cola insiste em só pagar 50% do acordo sem a pintura no centro do gramado. Não aceita logotipo nem dentro da meta ou atrás dos gols.

* 22/10/87 – CBF exige e C13 pinta de verde logotipo da Coca-Cola no centro dos gramados.

* 25/10/87 – C13 insiste  e Morumbi e Olimpico têm logotipo da Coca-Cola pintado dentro das metas.

*27/10/87 – C13 desiste de Coca-Cola dentro dos gols e vai testar logotipo atrás da meta. Equipes de transmissão da Globo fazem testes de viabilidade e visibilidade.

*28/10/87 – CBF consegue nova vitória na Justiça e veta Assembléia Geral pedida pelas federações estaduais.

*20/10/87 – Nabi se alia a Carlos Aidar e José Ferreira Pinto (presidente do Juventus) na eleição para FPF. O governador Orestes Quércia deve apoiar a chapa de oposição a José Maria Marin. Nabi ficou bravo pela indicação de Eduardo Farah como sucessor de Marin. Briga vai além do poder no futebol paulista. Tem a ver com a eleição para prefeito de 1988 e questões de comando do PFL paulista.

Orestes Quércia foi governador paulista de 1987 a 1990.

*02/11/87 – CBF cada vez ganha mais elogios pela desastrada condução de todos os negócios… Fala Paulo Maracajá, presidente do Bahia:

Octávio e Nabi deveriam ser jogados dentro de uma privada e depois apertaríamos a descarga.

Coca-Cola já não paga os 50% pela exposição menor da marca no gramado. Garrafas de 1m80 atrás do gol e pinturas atrás da meta não satisfazem empresa.

 *03/11/87 – Deputado federal centrista Francisco Amaral (PMDB-SP) quer instituir CPI no Congresso sobre os negócios da CBF. Requerimento tem assinatura de 180 deputados e 29 senadores. Ele acha que CBF está sendo levada pelo C13.

Aidar pretende criar a Federação de Futebol Profissional do Brasil no lugar da CBF

Carlos Eugênio Lopes, diretor de finanças da CBF, diz que dívidas da entidade podem chegar a 100 milhões de cruzados.

* 06/11/87 – C13 propõe “publicidade elétrica” na rede das metas. Quando ela balançasse com um gol, acenderia um luminoso da Coca-Cola…

*09/11/87 – C13 estuda criação de uma loteria exclusiva para seus jogos.

Coca-Cola e C13 se acertam. Em troca da não-exposição do logotipo no centro do gramado, clubes vão vestir Coca-Cola também nos estaduais de 88. Menos Flamengo (Petrobras), Inter (Aplub), Palmeiras (Agip) e Corinthians (Kalunga).

*10/11/87 – Márcio Braga (PMDB-RJ) e demais deputados ligados ao C13 pedem ao (novo) ministro da Educação Hugo Napoleão a permanência de Manuel Tubino à frente do CND. Ele era um esportista comprometido com a mudança necessária no futebol brasileiro.

Hugo Napoleão (PFL-PI) foi ministro da Educação de José Sarney

*17/11/87 – C13 se reúne com CND em Brasília e quer BR-88 com 20 clubes. E no primeiro semestre.

* 18/11/87 – Nabi não aceita mudar período do BR-88 e reafirma  QUE HAVERÁ CRUZAMENTO DE MÓDULOS EM JANEIRO de 1988 PARA DEFINIÇAO DO BR-87 E DAS DUAS VAGAS NA LIBERTADORES-88.

*19/11/87 – Homero Lacerda, presidente do Sport, fomenta campanha “RUBRO-NEGRO NÃO BEBE COCA-COLA”. Pepsi-Cola passa a fornecer produtos na Ilha do Retiro.

*20/11/87- CBF apresenta calendário de 1988 contrário ao do C13. BR-88 continuaria no segundo semestre.

* 22/11/87 – Vencendo o Palmeiras no Mineirão por 1 a 0, o Atlético Mineiro voltou a ser o melhor do Grupo A. No returno, as equipes jogavam entre si no mesmo grupo. O Galo ficou um ponto à frente do Flamengo. O time da Gávea foi rebocado para a semifinal pelo regulamento. O Galo levou o Mendo adiante. A única vantagem que teve o Atlético foi um pontinho de bonificação. A vitória na época valia dois pontos. No Grupo B, o Cruzeiro terminou invicto o returno, com 5 vitórias e dois empates, e chegou um ponto à frente do São Paulo. Eliminou o rival paulista com um gol polêmico do meia-atacante Careca, na vitória sobre o Santos, no Pacaembu.

* 26/11/87 – Cruzeiro reclama que não está recebendo “nada” da Coca-Cola. Pepsi-Cola procurou Vicente Matheus, presidente do Corinthians.

Vicente Matheus era presidente do Corinthians

* 27/11/87 – Coca-Cola reduz a multa de 50% dos clubes. Mas ainda mantém desconto por não ter o logotipo pintado no centro do gramado.

* 29/11/87 – Flamengo venceu o Atlético no Maracanã por 1 a 0, gol de Bebeto. Inter x Cruzeiro empataram sem gols no primeiro jogo da semifinal.

* 01/12/87 – Eduardo José Farah é eleito por 148 votos a 2 contra candidato de protesto da Federação Paulista. Vitória de José Maria Marin x Nabi & Aidar & José Ferreira Pinto. A frente ampla contra a continuidade em São Paulo foi o primeiro revés eleitoral do C13, embora não tenha entrado de cabeça no pleito.

* 02/11/87 – Numa partida tumultuada e com ameaças e denúncias de todos os lados, o Flamengo venceu o Atlético Mineiro por 3 a 2 e se classificou para a decisão contra o Internacional, que bateu o Cruzeiro na prorrogação, com gol de Amarildo, depois de outro empate sem gols no tempo normal.

* 04/12/87- Rubens Hoffmeister, presidente da Federação Gaúcha, agride a socos Marcio Braga, que o havia chamado de “bichona” na TV Manchete. Eles se reuniam no Rio para tentar corrigir erro do regulamento da CBF e C13 para o BR-87. O nível do debate era realmente altíssimo.

Benito Masci, presidente do Cruzeiro, diz que acabou o C13 e que está agora ao lado do Módulo Amarelo. Tudo porque Carlos Aidar reclamou muito da má arbitragem de José Roberto Wright, na vitória do Cruzeiro, no Pacaembu, sobre o Santos, que eliminou o São Paulo  da fase decisiva do BR-87.

* 06/12/87 – Internacional 1 x 1 Flamengo abrem a decisão do MóduloVerde, no Beira-Rio. No Brinco, Guarani vence Sport por 2 a 0 na primeira decisão do Módulo Amarelo, em Campinas. Liminar na Justiça garantiu jogo, já que o Bangu protestara da partida que perdera pro Sport, na Ilha do Retiro, na semifinal. Teria havido invasão de campo e agressão ao patrono do clube fluminense, o bicheiro Castor de Andrade. Parte da confusão em Recife se deveu aos incidentes semelhantes na partida de ida, em Moça Bonita.

Sport quer CBF em Brasília. Clube pernambucano e Guarani assinaram “PROTESTO CONTRA A MENTIRA”. Contra a CBF, Globo e C13.

 Eles massificaram a ideia de que a Copa União é o BR-87. Não é!

* 07/12/87 – Márcio Braga, como vice-presidente do C13 e presidente do Flamengo, afirma  que só aceita CRUZAMENTO DE MÓDULOS se for convocado o Conselho Arbitral da CBF para deliberar a questão. O conselho seria formado por 32 clubes dos dois módulos.

ISTO É: JÁ ESTAVA DETERMINADO O CRUZAMENTO. Márcio Braga disse que o C13 não quis CRUZAMENTO, e que isso “foi acrescentado pela CBF, não pelo C13”.

NA PRÁTICA: TIMES DO C13 ACEITARAM REGULAMENTO COM O CAMPEONATO EM ANDAMENTO PARA DESCUMPRI-LO. PRATICAMENTE NENHUMA DAS PARTES TEVE PALAVRA. NEM MESMO OS MOCINHOS DO C13.

NAS ENTRELINHAS: ACORDO “SECRETO” SELADO POR EURICO MIRANDA COM A BOLA ROLANDO ENROLOU DE VEZ A QUESTÃO.

Presidentes dos clubes do Rio negam dívida com Clube dos 13 Dirigentes alegam que todos os repasses de verbas de transmissões de televisão disponíveis já foram antecipados pela instituição

06:36 PM, 24/2/2011

 

Desde o primeiro momento em que veio à tona a divergência de Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco com o Clube dos 13 em relação à negociação dos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro a partir de 2012, o presidente da entidade, Fábio Koff, cita divídas de R$ 60 milhões para justificar pendências dos clubes com a instituição. Durante coletiva na manhã desta quinta-feira, os dirigentes foram perguntados sobre a questão e negaram que haja qualquer valor devido ao C-13.

- Não me parece que o Clube dos 13 seja uma instituição financeira. Se nós temos dívidas, e obviamente temos, é com quem nos dá receita, com quem é nosso parceiro comercial, e, efetivamente, instituições financeiras, de onde tiramos o dinheiro. Não temos uma relação com o Clube dos 13 nesse âmbito. Ele recebe a verba e repassa aos clubes - afirmou o presidente do Botafogo, Maurício Assumpção.

Clubes do RJ anunciam rompimento com o Clube dos 13 (Foto: Alexandre Vidal / Divulgação)Os presidentes Roberto Dinamite, Maurício Assumpção, Patrícia Amorim e Peter Siemsen durante entrevista coletiva para explicar a divergência com o Clube dos 13 (Foto: Alexandre Vidal / Divulgação)

O dirigente, que foi o porta-voz dos presidentes dos quatro grandes cariocas na entrevista, citou ainda que, no momento, não há mais repasses de verbas pendentes com o Clube dos 13.

- Como não temos mais verba para receber, porque algumas estão antecipadas e já têm um encaminhamento a ser efetuado, eu não vejo motivo algum para estarmos preocupados. Até porque não estamos recebendo esse dinheiro. Esse tipo de argumento não nos deixa preocupados. Muito pelo contrário. Essas dívidas existem, têm sido honradas, e as pessoas que têm que receber estão recebendo - garantiu.

O presidente do Fluminense, Peter Siemsen, também nega dívidas com o C-13 e acredita que o argumento usado por Koff pode ser interpretado de forma ameaçadora para que os clubes não se decidam pela formação de um bloco independente de negociação com as emissoras de televisão e outras mídias.

- Se a avaliação limita a nossa independência, eu entendo isso como uma certa ameaça. Se nós temos dificuldades financeiras, como todo clube brasileiro tem, e o Clube dos 13 é uma associação que nos pertence, então ela tem que estar preocupada com a situação financeira dos clubes, e não ficar nos questionando se estamos tomando uma decisão diferente. Não se pode misturar, como se dissesse que, a partir do momento que você pega dinheiro aqui, tem que seguir como um cordeirinho. Não, não vamos aceitar isso - afirmou.

Dirigentes alegam pressão de patrocinadores

Roberto Dinamite, presidente do Vasco, procurou mostrar que, além da verba direta, há outras preocupações que os clubes do Rio de Janeiro precisaram ter na hora de decidir pelo novo bloco. Pressão de patrocinadores foi uma delas.

- A visibilidade da parceria é tão importante quanto a parte financeira, a sua marca sendo colocada de forma correta - disse Dinamite.

A visibilidade
da parceria é
tão importante quanto a parte financeira"
Roberto Dinamite

Maurício Assumpção revelou que chegou a ser procurado por patrocinadores quando houve a divulgação das exigências do Clube dos 13 para o novo contrato de direitos de transmissão do Brasileirão.

- Na hora que você vai negociar, quais são os aspectos relevantes? Só a questão financeira ou a pressão que você recebe dos seus patrocinadores e parceiros comerciais? Eles falam o seguinte: “Amigo, onde é que você vai colocar a minha marca? Em quantos programas esportivos? Fora da grade esportiva, quantas vezes minha marca aparece?” Eles querem saber. Porque hoje ele tem isso. E eu posso falar que não é assim, talvez diminua. Eles podem dizer que não confiam, que não acreditam, que, se diminuir a audiência deles, eles diminuem a receita. E eu tenho uma responsabilidade. Tenho que pagar em dia, tenho que honrar compromisso, pagar as antecipações que eu fiz. Então, esse é um aspecto altamente relevante para nós - afirmou.

A questão financeira foi bastante comentada na entrevista coletiva desta quinta-feira. Outro aspecto citado era se a divergência com o C-13 deixaria os jogos dos times cariocas sem transmissão na televisão, já que, juridicamente, não seria possível duas emissoras transmitirem a mesma partida sem acordo prévio entre elas. Para Maurício Assumpção, esse é um entendimento que não diz respeito aos clubes.

- Hoje, é uma questão em que a TV A e a TV B vão ter que sentar para conversar de que forma vão resolver isso. O grande impedimento que eu vislumbro é que talvez a A tenha placas publicitárias diferentes da B. Aí, você tem um problema de transmissão, de quem é que vai passar. A questão é que hoje podem dizer que estamos fazendo besteira, que vamos sair enfraquecidos. E eu digo o contrário. Nós estamos fortalecidos - afirmou o presidente do Botafogo, reiterando que a formação do bloco dos cariocas teve respaldo dos setores jurídicos dos clubes.

Hoje podem dizer que
estamos fazendo besteira, que vamos sair enfraquecidos. E
eu digo o contrário. Nós
estamos fortalecidos"
Maurício Assumpção

Para Peter Siemsen, caso o grupo formado pelos quatro grandes do Rio acerte os direitos de transmissão de seus jogos com uma emissora que não seja a mesma escolhida em concorrência pelo C-13, a situação será “normal e transitória”.

- Como nós temos compromissos de pagamento de salário aos atletas, mercadológicos, esportivos, viagens, sabemos que não há possibilidade de os clubes ficarem sem televisão durante um ano inteiro. Sabemos que vamos chegar a um acordo comum. Se três ou quatro disserem que não querem mais, qual vai ser o tempo de vida que eles vão ter para fazer frente às demandas financeiras? Então, por necessidade e capacidade de negociação empresarial, nós temos certeza de que vamos chegar a um denominador comum.

Licitação de TV já corre risco Após racha, Globo ameaça abandonar a concorrência do C13

02:54 PM, 24/2/2011

 

 
Fábio Koff preside o Clube dos 13

 

A licitação da TV aberta do Campeonato Brasileiro subiu no telhado. A Globo sinalizou que não vai participar da concorrência por não concordar com o formato. Sem a emissora, a Record deverá fazer uma proposta bem mais baixa. O contrato da TV aberta é o de maior valor dos oito produtos que o C13 pretende negociar para o triênio 2012-14.

A Globo não gosta do formato de envelope fechado porque o considera uma “loteria”. Por esse método cada um faz sua proposta sem saber as dos outros. Pode tanto pagar demais pela vitória, quanto sofrer um revés por uma diferença mínima. Com leilões, o problema não existe.

Se a negociação for por fora do Clube dos 13, nem é preciso concorrência. Outro motivo de irritação da Globo é que a chegada de Ataíde Gil Guerreiro ao Clube dos 13 tirou da emissora a posição de comandante das negociações para a renovação do contrato dos direitos de TV.

Durante mais de uma década, era o diretor da Globo Esporte, Marcelo Campos Pinto, que sinalizava quanto a Globo poderia pagar. Sem concorrência, o Clube dos 13 aceitava quase sem reclamar.

Se a licitação do Clube dos 13 melar de fato e a Globo conseguir reter os direitos de TV do Brasileiro, a emissora deve recolocar na mesa sua agenda para o futebol brasileiro. Um dos pontos mais caros para a emissora é a volta do mata-mata no Brasileiro, que vigorou até 2002.

Para a emissora, o formato antigo é muito mais lucrativo. Na época do mata-mata, a emissora chegava a alcançar 40 pontos nas finais. Com os pontos corridos, a média não tem sido superior a 26 pontos.

A lógica dos pontos corridos é que os clubes se mantenham em atividade em todas as rodadas. Mas, para os interesses da Globo, é melhor um grande jogo do que dez medianos.

Com a palavra Marcelo Damato, colunista do L!

A rebelião dos clubes do Rio e do Corinthians contra o C13 tem o dedo da Rede Globo. A emissora sinalizou que daria condições vantajosas a Corinthians e Fla-mengo, para atrair para seu lado os clubes de maior torcida do Brasil.

Dessa maneira, atendeu às pretensões desses clubes de receber um tratamento diferenciado.

Não está claro se essas condições envolvem dinheiro vivo, espaço de mídia para a promoção desse clubes ou ambos.

Os clubes do Rio, para terem melhores condições de negociação, decidiram aderir logo ao movimento.

Calcularam que teriam mais a ganhar do que a perder. A decisão, anteontem na casa de Hélio Ferraz, foi tomada, nas palavras de um dirigen-te, “a toque de caixa”. O Flamengo, como de hábito no estado, foi o líder do movimento.

Com a adesão do Coritiba, do Paraná, ontem à noite, iniciouse uma nova fase do movimento, da adesão dos clubes médios e de grandes indecisos. A meta é reunir ao menos dez clubes.

O Palmeiras pode ser mais um a aderir, mas a estratégia de Arnaldo Tirone é a oposta: em vez de pensar no dinheiro que pode ganhar, ele tenta evitar desgaste político por apostar no cavalo errado.

Quatro grandes do Rio de Janeiro se unem contra o Clube dos 13

03:34 PM, 23/2/2011

 

Clubes contestam entidade e adotam posição conjunta na negociação dos direitos de TV do Brasileiro

O novo contrato dos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro segue gerando polêmica e discórdia no futebol nacional. Nesta quarta-feira, os quatro principais clubes do Rio de Janeiro anunciaram, através de nota oficial conjunta, que não acompanharão o Clube dos 13 na negociação. Um dia antes, o Corinthians já tinha tomado  decisão de se licenciar da entidade, com possibilidade de deixá-la definitivamente.

Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco adotam posição conjunta e negociarão diretamente com as empresas interessadas em transmitir o Campeonato Brasileiro. Uma entrevista coletiva foi marcada para esclarecer a posição dos clubes, às 11h de quinta-feira.

A decisão dos times cariocas enfraquece bastante o Clube dos 13, que atualmente negocia a venda dos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro. Sem Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco, a entidade perderia um quarto dos seus associados.

Nesta quarta, a direção do Clube dos 13 se reuniu em São Paulo para analisar as regras de venda dos direitos de transmissão para TV aberta. Globo, Record e RedeTV já manifestaram interesse na compra. O Flamengo, que ocupa uma das vice-presidências da entidade, não compareceu ao encontro. Os demais vice-presidentesdo C13, ligados a Inter, Santos e Atlético-PR, participaram.

Veja abaixo o comunicado oficial assinado pelos quatro presidentes dos times cariocas:

Os presidentes do Botafogo de Futebol e Regatas, do Fluminense Football Club, do Clube de Regatas do Flamengo e do Club de Regatas Vasco da Gama reuniram-se em 22/02/2011 para discutir os aspectos relacionados à concorrência, encaminhada pelo Clube dos 13, com o propósito de aquisição dos direitos de transmissão dos jogos do Campeonato Brasileiro de futebol profissional.

Como resultado, restou decidido que os clubes adotarão posição conjunta, diante da questão em causa, tendo como fundamento principal a defesa intransigente dos interesses do futebol do Rio de Janeiro e, ainda, a satisfação dos interesses maiores do futebol brasileiro em geral.

Foram, em conseqüência, fixadas, pelos quatro clubes, as seguintes preliminares:

- Não reconhecer como adequada a forma pela qual, até aqui, o Clube dos 13 conduziu, perante aos associados, o projeto para o novo contrato de transmissão;

- Os clubes, em conseqüência, manifestam-se desobrigados, diante do Clube dos 13, dispondo-se os mesmos a tratar, diretamente com as empresas interessadas, todos os aspectos comerciais referentes aos direitos de transmissão dos jogos do Campeonato Brasileiro.

Rio de Janeiro, 23 de Fevereiro de 2011

Mauricio Assumpção
Botafogo de Futebol e Regatas
Presidente

Patricia Amorim
Clube de Regatas do Flamengo
Presidente

Peter Siemsen
Fluminense Football Club
Presidente

Carlos Roberto Dinamite de Oliveira
Club de Regatas Vasco da Gama
Presidente

Agora é oficial Corinthians anuncia saída do Clube dos 13

03:30 PM, 23/2/2011

Andrés Sanchez, mandatário do clube, mandou carta ao presidente da entidade para explicar motivos

 

O Corinthians anunciou nesta quarta-feira, por meio de seu site oficial, que está oficialmente fora do Clube dos 13. O presidente do clube, Andrés Sanchez, enviou carta criticando Fabio Koff, presidente da entidade que representa os mais importantes clubes de futebol do Brasil, e explicando os motivos da decisão. O mandatário do clube paulista declarou na terça-feira que estava descontente com a negociação dos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro de 2012 a 2014, e por isso resolveu deixar a entidade e negociar por contra própria com as redes de televisão.

"O Corinthians comunica que a partir de hoje (quarta-feira) se desliga do Clube dos 13 e conduzirá negociações diretas com as empresas interessadas em adquirir os direitos de transmissão de seus jogos pelo Campeonato Brasileiro de Futebol a partir do ano de 2012”, disse Andrés Sanchez, em nota oficial publicada no corinthians.com.br. Com a saída do clube, a transmissão do Campeonato Brasileiro pode ser inviabilizada.

Para argumentar sua decisão, o clube paulista fez acusações contra o Clube dos 13, que prontamente se defendeu. Na carta, Andrés Sanchez aponta "desmandos administrativos", "irresponsabilidade" e "contratações irregulares" feitas pela entidade. Nesta quarta-feira, o C13 definiu o ágio para venda de direitos de transmissão para TV aberta.

No documento, o presidente corintiano diz ainda que "em diversas ocasiões" o clube já havia manifestado interesse em deixar o Clube dos 13, mas só não o fez por entender que havia chance de "através de um diálogo construtivo entre todos os clubes associados, encontrar um modelo democrático e transparente de gestão para a associação". No entanto, Sanchez afirma que "fatos recentes evidenciaram o erro de avaliação" e critica a entidade e seu presidente, Fabio Koff.

"A forma irresponsável com que alguns membros da diretoria do Clube dos 13 e seu diretor executivo conduziram o processo de elaboração da concorrência com o propósito de aquisição e direitos de transmissão dos jogos do Campeonato Brasileiro de Futebol a partir do ano de 2012 é, no mínimo, danosa aos interesses do Corinthians e dos demais clubes que integram a elite do futebol brasileiro", completou o mandatário do clube do Parque São Jorge.

Sanchez também citou a "imparcialidade" da entidade na relação com uma emissora de televisão: “O simples fato de durante a reunião de ontem (terça-feira) da comissão de negociação do Clube dos 13 e seu diretor executivo, no meio das discussões, ter ligado para um alto executivo da Rede Record para saber o que ele achava de uma deliberação que estava em discussão (confirmado por dois membros da comissão de televisão) e iria ser votada demonstra que este processo não está sendo conduzido com isenção e macula, de forma indelével, a lisura dos trabalhos que estão sendo realizados”, afirmou.

Clube dos 13 abandona cálculo e permite que quem pague menos leve os direitos do Brasileirão. Entenda

04:06 PM, 22/2/2011

Recentemente, o Clube dos 13 havia adotado um sistema matemático para a venda dos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro, criado por pesquisadores da Escola Politécnica de São Paulo, que envolvia o horário em que o canal vencedor pretende exibir os jogos, a quantidade de espaço que ele oferecerá ao Campeonato Brasileiro dentro de sua programação e o valor pago para a veiculação da publicidade dentro da emissora nessa faixa horária proposta. Mas o fator definitivo era o maior valor da proposta.

Na iminência da Rede Globo desistir do leilão em função dos altos valores do lance mínimo (R$ 500 milhões), o Clube dos 13 decidiu derrubar este cálculo. Assim, a visibilidade e importância que o Brasileirão terá na emissora carioca seria considerado, e a Globo poderia conseguir os direitos mesmo pagando um valor menor que a Record, que está disposta a concorrer abertamente.

A definição de quem terá os direitos de transmissão do Brasileirão Série A para o triênio 2012-2014 acontecerá em março deste ano. Rede Globo e Rede Record são as duas concorrentes mais fortes, mas a RedeTV!, que detém os direitos da Série B, corre por fora.

A TV Tupi do Rio de Janeiro vira livro

02:54 PM, 22/2/2011

 

Publicado em 02/02/2011

A TV Tupi vira livro

“TV Tupi do Rio de Janeiro – Uma viagem afetiva” (Coleção Aplauso, R$ 30), foi lançado há uma semana e já ganha destaque na imprensa. O livro foi escrito pelo jornalista e ator Luís Sérgio Lima e Silva, e reúne dezenas de fotos históricas e depoimentos de personagens responsáveis pelo sucesso da empresa, fundada há 60 anos por Assis Chateaubriand, apelidado pelo autor de “grande cacique da Taba Tupi”.

Apesar de ter fechado as portas em 1980, vítima de caos admnistrativo, a TV Tupi ainda é uma lenda. Afinal, foi ela quem plantou no Brasil um novo conceito de mídia eletrônica, até então nas mãos somente do Rádio. Séries como “O Falcão Negro”, programas como “Um Instante, Maestro” com Flávio Cavalcanti e novelas como a quase interminável “O Direito de Nascer” transformaram a TV Tupi num capítulo à parte na história da Comunicação no Brasil. Na foto, John Herbert e Eva Wilma, par romântico da emissora.

Conthians anuncia que vai sair do Clube dos 13 e o racha

11:45 AM, 22/2/2011

O presidente do Corinthians, em entrevista ao programa Sócio PFC do canal por assinatura PFC 24 horas anuncia que a equipe paulista vai sair do Clube dos 13 dizendo não concordar com as atitudes do Clube dos 13. Ao que tudo indica o Flamengo, Botafogo, Cruzeiro, Goías, Vasco da Gama, Vitória e Santos podem ir pelo mesmo caminho. Nas últimas eleições para a presidência do Clube dos 13 estes clubes menos o Flamengo votaram no candidato da CBF, Kléber Leite que acabou pederdendo, e quem acabou sendo eleito foi Fábio Koff para indignação destes clube.

 Mas aonde entra o Flamnego ?

Bom a Traffic que cuida dos direitos de imagem de Ronaldinho Gaúcho acha melhor para a presidente Patrícia Amorim e o Flamengo sairem do Clube dos 13 pois vê melhor visibilidade do atleta nas transmissões da Rede Globo que pode perder injustamente os direitos de transmissão do Brasileirão do período de 2012-2014 para a emissora manipuladora de ídeias e que ilude os fieís da igreja universal a Rede Record, nesse momento a Rede Globo, CBF e mais estes Clubes podem criar o Clube dos 7 com o objetivo de eliminar o Clube dos 13 de vez. Estes clube vê que Rede Globo o Ibope alto no horário de 22:00 que sua marca seja melhor divulgada que não iria acontecer com a emissora que joga sujo ( Rede Record ) com o horário proposto por essa emissora 20:00 a audiência pode cair por causa do JN e a novela da 21:00 e Corinthians e Flamengo correm risco de suas marcas não serem divulgadas.

A briga entre as TV's entra agora no Futebol

A briga entre a Rede Globo e a emissora da deslealdade a Rede Record entra também no futebol depois do CADE ser obrigado pela Rede Record e fazer com que a sua concorrente perca os direitos do Brasileirão agora o Clube dos 13 virou alvo de manipulação também, a associação que cuida dos principais clubes do Brasil vê todas as propostas de compra dos direitos de tarnsmissão menos da Rede Record com má vontade isso aconteceu na semana passada quando a REDETV ! e a Rede Globo apresentaram suas propostas, foram vistos com má vontade pelos menbros da entidade, ainda mais aumentou o preço da compra dos direitos para R$ 500 milhões de reais o que gerou indignação por parte da Rede Globo ameaçando sair da disputa e alguns clubes tambem acham a mesma coisa. O estranho é que o preço subiu da noite pro dia com o caráter de prejudicar algumas emissora menos a Rede Record.

Deus nos livre se o futebol for para a Rede Record senão vai virar sujeira e mais uma forma de ganhar dinheiro as custas dos times brasileiros para poder usar em benefício do Bispo e de sua emissora que joga sujo até fora das quatro linhas.

Futebol 2011 na Globo Show de Rentabilidade

07:41 PM, 21/2/2011

As Transmissões do Campeonato Brasileiro começam em Abril na Globo e na BAND na TV Aberta e para quem é da TV Por Assinatura acompanha pelo PFC e SPORTV. Bom agora é só esperar para acompanhar o futebol e torcer para seu time no futebol de botão.

Emissoras a transmitir os jogos

04:26 PM, 21/2/2011

Rede Globo e BAND pela TV Aberta

PFC, SPORTV , ESPN, ESPN Brasil e TV Esporte Interativo pela TV Paga.

pela internet www.globoesporte.com , blog.clickgratis/brasileiraodebotao e www.band.com.br

Jogos serão disputados nos seguintes dias e horários abaixo.

04:16 PM, 21/2/2011

Quarta 20:30 e 21:50 no horário normal

Quinta 20:30 no horário normal

Sábado 18:30 no horário normal

Domingo 16:00 e 18:30 no horário normal

Horário de Verão

Quarta 19:30 e 22:00

Quinta 19:30

Sábado 19:30

Domingo 17:00 e 19:30

Horários sujeito à alteração

 

Logo do Campeonato Brasileiro 2011

02:29 PM, 21/2/2011

Logo do Campeonato Brasileiro de Futebol de Botão administrado pela CBF.

Patrocínios

01:27 PM, 21/2/2011

Itaú, Skol, Coca-Cola, Wolksvagen, Vivo, Havaianas e Casa Bahia .

Parceria da Rede Globo

01:24 PM, 21/2/2011

Parceria da Cbf

01:18 PM, 21/2/2011

Vem aí o campeonato mais disputado do Brasil.

01:08 PM, 21/2/2011

Em Março está chegando o campeonato mais disputado, do Brasil 28 times muitos gols e a emoção na ponta dos dedos, acompanhe aqui no www.globoesporte.com as notícias do campeonato brasileiro de futebol de botão. Um Abraço a todos.