Escola Brincando & Construindo

Perfil

A Educação infantil já é reconhecida, hoje, por cientistas e pesquisadores de diversas áreas do conhecimento, como uma das maiores responsabilidades da escola. Até pouco tempo, ainda havia, na sociedade, a noção de “pré-escola” como um mero espaço recreativo de atendimento a criança cujos pais trabalham. Hoje, essa visão deve ser radicalmente transformada. É nesta fase abrangida pela Educação Infantil que se formam as características básicas da personalidade. No plano de evolução biológica, o cérebro está em pleno desenvolvimento; no plano da cultura, é quando os indivíduos começam a se comunicar através das linguagens oral e escrita e vivem suas primeiras experiências sociais. Isso significa que, ao procurar uma escola de Educação Infantil, os pais devem buscar, sim, um ambiente seguro e muito afetivo. Mas precisam saber que já nesta fase da vida a palavra chave é: Educação.


«  January 2017  »
MonTueWedThuFriSatSun
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031 

Meus Links

* Home
* Perfil
* Arquivos
* Amigos

Currículo real, oculto e prescrito

 

Currículo Escolar Real, Oculto e Prescrito

 

Basicamente, o curículo é uma lista de tudo aquilo que uma escola pretende ensinar. Pode também conter informações mais precisas sobre como e quando vai fazê-lo e também sobre os processos de avaliação das aprendizagens. Geralmente, resume-se a uma relação de matérias, cada uma com seus conteúdos, apresentados na sequência na qual devem ser trabalhados com os alunos de cada série.
 
Os currículos evoluem ao longo do tempo e podem sofrer muitas alterações no espaço de algumas gerações. Matérias podem desaparecer, como o Latim. Outras podem ser criadas, como a famigerada Educação Moral e Cívica, nos anos da ditadura, ou a Educação Ambiental, mais recentemente. Novos conteúdos podem ser incorporados, seja por causa de evoluções da ciência acadêmica (como no caso do DNA em Biologia ou da teoria do Big-Bang em Ciências), seja por vontade de reformular os métodos de ensino (como no caso da fracassada experiência com a Matemática Moderna na escola fundamental ou do bem-sucedido uso da literatura infantil na aprendizagem da linguagem escrita).
 
 
O currículo pode ser uma referência sobre o modo de ser da escola, especialmente quando apresenta inovações em seus conteúdos. Atualmente, essas inovações podem ser divididas em duas grandes categorias:
 
1 - Enriquecimento da lista básica de conteúdos ofertados: artes, música, informática, entre outras novas áreas, e conteúdos multidisciplinares (como ecologia, educação sexual, ética, etc.) podem começar a ser incluídos na lista do que a escola pretende oferecer aos alunos.
 
 
2 - Simplificação de conteúdos ("núcleo básico" ou "tronco comum") e tentativa de criar um "currículo vivo". Essa mudança vem da percepção de que, mais do que trabalhar conteúdos específicos, o importante na educação fundamental é adquirir algumas habilidades e competências básicas, como dominar a linguagem escrita e a linguagem matemática, etc. Diferentes conteúdos e situações podem ser aproveitados para desenvolver essas competências básicas. Conversar com alunos de outra escola, via Internet, é um exemplo de uma situação que pode surgir durante o ano e servir como excelente ponto de partida para trabalhar a linguagem escrita (produção de textos, revisão gramatical e ortográfica) ou os conhecimentos geográficos (como é o lugar onde vive a pessoa com quem estamos nos correspondendo?).
 
 Outro conceito importante é o de "currículo oculto", que inclui diversos valores (por exemplo: religião, preconceitos de cor e de classe, regras de comportamento, etc.) que a escola pode ensinar, mesmo sem mencioná-los em seu currículo.
 
Há também o currículo prescrito, que pode ser definido como um conjunto de decisões normativas que são produzidas nos gabinetes das secretarias federais, estaduais e municipais de educação. É um currículo totalmente distanciado do currículo real, pois não respeita a diversidade, e não é construído pelos que fazem a escola cotidianamente. 
 
O currículo prescrito atribui à escola o papel de transmitir uma cultura com base na lógica da reprodução, um currículo igual para todo o território e para todos os alunos, construído para que o professor o execute da forma como veio estruturado.

Mesmo o currículo sendo prescrito, o professor através de sua interação deve construir, no dia-a-dia, novas alternativas curriculares para a sua prática docente.

Nos dias de hoje ainda temos escolas quem pensam que todos têm que ser iguais, onde a instituição escolar sempre se organizou a partir dos padrões a serem cumpridos por todos, com práticas de que a aprendizagem acontece no mesmo ritmo e no mesmo tempo, excluindo assim, aqueles que fogem a esse padrão, com classificações e seleções baseadas no modelo tradicional.
A escola se diz inclusiva, mais continua tratando os alunos que são por natureza diferentes uns do outros, como se todos fossem iguais, excluem aqueles que não se encaixam nos grupos sociais e culturais que a cultura escolar impõe. 
 
Há diversos mecanismos que reforçam as desigualdades socioculturais nos sistemas educacionais, um desses mecanismos é o livro didático.
 
Assim como o currículo prescrito que vem pronto para o professor executar, o livro didático também é assim. O professor precisa ver o livro didático como um apoio um norte e não algo que o torne refém dele.
 
O professor deve usar o livro didático como um recurso que irá auxiliá-lo em sua prática, proporcionando uma pedagogia emancipatória, de superação de uma cultura escolar excludente e de um pensar que passa pelo projeto curricular da escola.
 
Abaixo, um vídeo muito interessante que mostra como estruturar uma grade curricular atrativa para os alunos e que contribua para a aprendizagem:

E aí, professores? O que vocês pensam acerca do currículo escolar? Vamos fazer um debate? Deixem seus comentários!Em boa parte dos casos, é preciso reconhecer: a simples leitura do currículo não é suficiente para dar uma ideia de como funciona uma escola. Afinal de contas, existem grandes diferenças entre o currículo oficial e o que efetivamente se passa em sala de aula, que podemos chamar de "currículo real".

Postado em: 07:07 PM, 4/10/2012
Comentários (0) | Adicionar Comentário | Link

Educação e Currículo

 Queridas amigas proponho um debate
acessem o link abaixo
youtu.be/AzP0fDvWsks


Postado em: 07:06 PM, 4/10/2012
Comentários (0) | Adicionar Comentário | Link

Educação e Currículo

 

youtu.be/AzP0fDvWsks


Postado em: 07:00 PM, 4/10/2012
Comentários (0) | Adicionar Comentário | Link

Currículo real, oculto e prescrito

Currículo real, oculto e prescrito

 

O QUE É CURRÍCULO? TEORIAS CURRICULARES, TIPOS DE CURRÍCULO


O QUE É CURRÍCULO?

    O currículo constituiu um dos fatores que maior influência possui na qualidade do ensino. Este aparente consenso esconde um equívoco. Não existe uma noção, mas várias noções de currículo, tantas quantas as perspectivas adotadas.  O currículo continua a ser identificado, com o "plano de estudo". Currículo significa, neste caso, pouco mais do que o elenco  e a sequência  de matérias propostas para um dado ciclo de estudos, um nível de escolaridade ou um curso, cuja frequência e conclusão conduzem o aluno a graduar-se nesse ciclo, nível ou curso. "Em termos práticos, como escreve Ribeiro (1989), o plano curricular concretiza-se na atribuição de tempos letivos semanais a cada uma das disciplinas que o integram, de acordo com o seu peso relativo no conjunto dessas matérias e nos vários anos de escolaridade que tal plano pode contemplar".   Este conceito de currículo, muito próximo do conceito de programa, como foi formulado por Bobbit (1922), evoluiu para um conceito mais amplo que privilegia o contexto escolar e todos os fatores que nele interferem. Procurando traduzir estas novas concepções Ribeiro (1989), propôs a seguinte definição mais operacional de currículo: "Plano estruturado de ensino-aprendizagem, incluindo objetivos ou resultados de aprendizagem a alcançar, matérias ou conteúdos a ensinar, processos ou experiências de aprendizagem a promover” 
    Mas o currículo não é apenas planificação, mas também a prática em que se estabelece o diálogo entre os agentes sociais, os técnicos, as famílias, os professores e os alunos. O currículo é determinado pelo contexto, e  nele adquire diferentes sentidos conforme os diversos protagonistas.
TIPOS DE CURRÍCULO
 
CURRÍCULO FORMAL, OFICIAL, PRESCRITO, EXPLÍCITO: É tudo aquilo que é imposto pelo sistema de ensino, como as LDB, PCN, Proposta pedagógicas.
CURRÍCULO REAL, EM AÇÃO: O que será realizado em sala, ou seja, é o planejamento de aula que o professor faz e vai praticar em sala de aula. Muitas modificações nesse processo podem ocorrer. É o planejamento e ação.
CURRÍCULO OCULTO, NULO: São todas as manifestações em ambiente escolar. São as simbologias que formam o ambiente escolar.  que não estão expressos em palavras ou não estão formalmente no papel.



Postado em: 06:50 PM, 4/10/2012
Comentários (0) | Adicionar Comentário | Link

Escola Brincando & Construindo

 A Educação infantil já é reconhecida, hoje, por cientistas e pesquisadores de diversas áreas do conhecimento, como uma das maiores responsabilidades da escola.
Até pouco tempo, ainda havia, na sociedade, a noção de “pré-escola” como um mero espaço recreativo de atendimento a criança cujos pais trabalham. Hoje, essa visão deve ser radicalmente transformada.
É nesta fase abrangida pela Educação Infantil que se formam as características básicas da personalidade. No plano de evolução biológica, o cérebro está em pleno desenvolvimento; no plano da cultura, é quando os indivíduos começam a se comunicar através das linguagens oral e escrita e vivem suas primeiras experiências sociais.
Isso significa que, ao procurar uma escola de Educação Infantil, os pais devem buscar, sim, um ambiente seguro e muito afetivo. Mas precisam saber que já nesta fase da vida a palavra chave é: Educação.


Postado em: 06:46 PM, 4/10/2012
Comentários (0) | Adicionar Comentário | Link