Gavetas empoeiradas

Enigmática

12:46 AM, 27/8/2016

O bosque da esperança estava lindo naquela tarde movimentada de sábado, o sol realçava os cabelos acinzentados de uma senhora que há pouco havia me pedido uma informação, e que agora estava indagando seu netinho sobre qual sabor de picolé preferia. Desviei-me e vi uma familia vindo na minha direção com aqueles olhos confusos, ouvi uma garotinha gritando: É ali a saída, mamãe.. De imediato tomaram outra direção e a zuada foi dissipando.

Destarte resolvi circular, já que não faz sentido ficar parado em um lugar tão incrível, ao andar trinta metros deparei-me com uma cena que congelou meus olhos. Uma moça exalando juventude sem pestanejar contemplava um ponto fixo do bosque, como se estivesse em busca do sentido da vida, cogitei até na possibilidade de que estava perdida em algum lugar dentro de si, vai saber... Vi, mas não enxerguei nada fascinante, nada que pudesse prender minha atenção por minutos a fio. Sentei no banco próximo ao seu, e ao fazer isso ela olhou pra mim, contudo deviou tão rapidamente que ofendeu-me, afinal não sou um homem desprovido de beleza.

Nesse ínterim decidi lhe dar um nome, o olhar de Emma suavizou-se quando viu uma criança correndo e se arregalou quando esta caiu, porém estava presa naquele banco para prestar qualquer ajuda. Levantou sua cabeça para contemplar o ballet das nuvens e do nada sorriu, abriu a bolsa tirou sua câmara e capturou o que viu, levantou-se e foi embora. Antes de Emma virar a esquerda e desaparecer olhou para mim, ali tinha algo, só isso que fui capaz de concluir, cruzei os braços e fitei o mesmo ponto que a havia aprisionado poucos minutos antes, olhei para o céu e debochei da minha esquizofrenia.

Uma noite qualquer

10:24 AM, 2/6/2015

Precisei respirar leveza, mas para isso tive que me retirar do meio daquelas pessoas, direcionei-me a um cantinho onde poucos me viam, entretanto eu tinha uma boa visibilidade de todo o ambiente. Assim que chegava mais um convidado aparentemente encarnando o oposto de si mesmo, me senti impulsionada a observá-los. As mesas estavam abarrotadas dos amigos dos meus amigos, suas gargalhadas cobriam toda a atmosfera, histórias sobre infância e namoros explodiam, típica festa de aniversário. Enquanto, os minutos passavam, pude notar um certo desconforto por parte de alguns, talvez tenha sido a comida que os fizera mal ou simplesmente foram alvos de piadas constrangedoras, a verdade é que o clima já não era o mesmo de quando começou. Fiquei aliviada por não estar arrastando uma bolsa pesada pelas ruas da minha consciência também. No decorrer da festa as pessoas se mostravam desinteressadas aos assuntos de sua mesa, e tentavam ouvir a das que estavam a sua volta, olhos corriam pelo salão como que estivessem procurando um motivo que as arrancariam dali. Por conseguinte, a tentativa épica de camuflagem se dava quando tiravam os celulares do bolso - e demostravam estar envolvidos com aquilo. Olhar o relógio a cada 3 minutos parecia o único entretenimento e ao mesmo tempo um castigo, enquanto olhava aquela situação quis colocar um título na tela pintada bem à minha frente, e como a criatividade nunca bate a minha porta, nomeei aquelas 2h de: ‘’A era do ético pelético ensebado.’’ 

Quando em fim terminou meu trabalho de campo sai do meu cubículo com um meio sorriso de satisfação no rosto, talvez você saiba o porquê. Agora quando restou apenas poucos aproveitei para sentar na mesa e ser o que não sou por um momento- social.

329 devoradas

11:00 PM, 27/4/2015


Pensei que seria só mais um a disparar clichês/ideias para tentar me convencer de algo ou alguém, porém foi passando os dias e me vi presa no meu quarto, presa a um lugar, presa a uma vida.
Me toquei que não queria que aquilo terminasse como um filme, que depois de assisti-lo fica reticências pelo caminho.
Não imaginei nas consequências de todas aquelas palavras no meu mundo, com lágrimas nos olhos encarei a tela do notebook e repeti silenciosamente:  VIVA CORAJOSAMENTE LIVRE.
O problema é que tenho conceitos cristalizados. Ainda tenho medo de muitas coisas, tive que rever os meus achismos. Quem gosta de se arriscar? Mas pode ser necessário, algo como obrigatório para ser feliz. Talvez. Não sei, ainda estou digerindo a grandeza das palavras.

 

 

FRASES:

'Dizem que só é possível se admirar um jardim depois de certa idade, e acho que
existe alguma verdade nisso. Provavelmente tem algo a ver com o grande ciclo da vida.
Parece que há algo de miraculoso em ver o inexorável otimismo de um novo broto após a desolação do inverno, uma espécie de alegria na diversidade a cada ano, a forma como a natureza escolhe mostrar diferentes partes do jardim. Houve momentos —quando meu casamento ficou mais populoso do que eu tinha imaginado — em que o jardim foi meu refúgio, momentos em que foi uma alegria.'

'A finalidade da música é fazer com que você se desligue do mundo.'

'O livro — que era surpreendentemente interessante — era sobre uma espécie de luta pela sobrevivência. Afirmava que as mulheres não escolhiam os homens por amor. Segundo o livro, a fêmea da espécie sempre escolheria o macho mais forte para aumentar as chances de sobrevivência da prole. Ela não tinha culpa. É a natureza.'

'Havia um curioso sossego em olhar o restante do mundo cuidar de suas vidas.'

[...]de repente tive a sensação de ver o tempo passar e de perder grande parte dele nas pequenas idas e vindas pelo mesmo caminho.'

'Alguns erros... apenas têm consequências maiores que outros. Mas você não precisa deixar que aquela noite seja aquilo que define quem você é.'

“Só sei dizer que você me transformou… numa pessoa que eu nem imaginava. Você me faz feliz, mesmo quando é horroroso. Prefiro estar com esse você que você deprecia do que com qualquer outra pessoa no mundo.”

“Beijei-o, tentando trazê-lo de volta. Deixei meus lábios nos dele de maneira que nossa respiração se misturou e minhas lágrimas viraram sal na sua pele e disse a mim mesma que, em algum lugar, pequenas partículas dele virariam pequenas partículas de mim, ingeridas, engolidas, vivas, eternas. Queria apertar cada parte minha nele, deixar alguma coisa minha nele, dar a ele cada pedaço da minha vida e obrigá-lo a viver.”

“E sabe o que? Ninguém quer ouvir esse tipo de coisa. Ninguém quer ouvir você falar que está com medo, ou com dor, ou apavorado coma possibilidade de morrer por causa de alguma infecção aleatória e estúpida. Ninguém quer ouvir sobre como é saber que você nunca mais fará sexo, nunca mais comerá algo que você mesmo preparou, nunca vai segurar seu próprio filho nos braços. Ninguém quer saber que às vezes me sinto claustrofóbico estando nesta cadeira que tenho vontade de gritar feito louco só de pensar em passar mais um dia assim.”

'Olhei pela janela para o céu azul-claro da Suíça e contei a história de duas pessoas. Duas pessoas que não deviam se encontrar e que não gostaram muito um do outro quando se conheceram, mas que descobriram que eram as duas únicas pessoas no mundo que podiam se entender. Contei as aventuras que tiveram, os lugares onde foram e as coisas vistas que nunca esperaram ver. Conjurei para ele céus cheios de raios, mares iridescentes e noites repletas de risos e piadas bobas. Desenhei para ele um mundo, distante de uma área industrial suíça, um mundo onde ele ainda era, de algum modo, a pessoa que queria ser. Mostrei o mundo que ele tinha criado para mim, cheio de encantos e oportunidades. Deixei que soubesse que uma mágoa tinha se curado de um jeito que ele não podia imaginar, e que só por isso eu estaria para sempre em dívida com ele. Enquanto eu falava, sabia que aquelas poderiam ser as palavras mais importantes que diria e que precisavam ser as palavras certas, que não eram propaganda, uma tentativa de mudar o que ele pensava, mas que respeitavam a decisão dele. Contei algo bom.'

 

Loucura

11:35 PM, 5/11/2014

"Como foi mesquinho meu comportamento!", exclamou ela, "eu, que me orgulhava tanto de meu discernimento, de minhas capacidades! Eu, que tantas vezes desdenhei a generosa candura de minha irmã e gratifiquei minha vaidade com inúteis e censuráveis desconfianças. Como é humilhante essa descoberta! Mas como é justa essa humilhação! Não poderia ter agido mais cegamente, se estivesse apaixonada! Mas foi a vaidade, e não o amor, a minha loucura! Lisonjeada pela preferência de um deles e ofendida com a negligência do outro, logo no início das nossas relações cortejei a parcialidade e a ignorância e expulsei a razão. Até esse momento, eu não conhecia minha verdadeira natureza."

Orgulho e Preconceito, Jane Austen

Orgulho e preconceito

09:51 AM, 19/8/2014

--0- ''Há poucas pessoas que eu ame de verdade, e menos pessoas ainda de que eu tenha boa opinião. Quanto mais conheço o mundo, mas me sinto insatisfeita com ele; e a cada dia se confirma minha crença na incoerência de toda personalidade humana; e na pouca confiança que podemos depositar na aparência de mérito ou razão''

...

03:33 PM, 13/9/2013

O segredo é não correr atrás das borboletas... é cuidar do jardim para que elas venham até você.
 

 

O sol é como um grande amor, as vezes ele se esconde atrás das nuvens, mas não se apaga, ele sempre volta a brilhar. (João Chinelato)

Encontrei um rouxinou que não sabia cantar

02:41 PM, 16/8/2013

Caminhando no Arizona percebo o quanto é relativa e intrigante a solidão. Olhando pra trás vejo o quanto já andei e nem percebi, num instante o cansaço me suga o fôlego e a preguiça de seguir em frente em busca do biscoitinho da sorte aumenta. Minha visão de longo alcance o detecta, a partir daí ele se tornara aparentemente um amigo bem definido na sua indefinição. Fomos matando as léguas juntos e em um momento inesperado me sintonizo na fonte certa, a sintonia que dantes era já não é mais.

Lhe entreguei os retalhos, lhe mostrei a caixinha pra vermos a bailarina dançando no compasso da luz, mas no final sempre sabemos que mas não é mais.

Preto e cinza?

Não se engane, ouça a música.

Sim!

11:13 AM, 1/8/2013

 

   Quando estou em um casamento não me esforço muito pra ver a noiva, mas o noivo - o olhar e a expressão no rosto dele me emocionam. É como se nunca a tivesse visto.
Me encontro pensativa e indagando o porquê daquele sorriso, abaixo a cabeça, meus olhos se enchem, mas engulo o choro e levanto de novo pra não perder nada.
  Observo que muitos não conseguem conter o seu carinho e beijam a noiva na testa ou na mão por uns 5 segundos. Parece só 5 segundinhos, portanto só a noiva sabe a dimensão desse gesto. A alegria está tão evidente que parece que o mundo parou pra assistir o sonho realizado ou a vitória conquistada em meio a guerra. Só sei quanto mais eu admiro isso, mas peço que o meu dia chegue.
 
Espero pelo grande dia que entrarei na igreja com vestes de santidade e verei no altar O meu noivo, O esperado das nações, me amando com o olhar.
                                                     

Por que?

06:09 PM, 29/7/2013

 

  Esse sujeito é o famoso Zé bonitinho, seus galanteios e sua elegância agrada a muitas. Mas seus valores e princípios são guardados dentro de uma caixa de sapatos em baixo da cama, sua sensibilidade está empoeirada e coberta de teias de aranhas no sótão, compromisso não existe no seu dicionário e amor é ficção. Na sala vi um quadro estampado, bonito, reparei na borda e notei que estava desgastado fiquei intrigada e o tirei da parede. Apressadamente arrancou da minha mão, nervoso me disse que ninguém poderia fazer o que fiz. Perguntei o por quê e me revelou que era duplo. Pela borda desgastada ele puxou e vi uma imagem sombria, sem cor.

  - O que é isso?! 

  - A minha vida é assim, a estampada quer dizer como quero que as pessoas me vejam, e esta é o meu reflexo, sou um oásis para muitas porque aparento ser o que não sou. O prazer que essa farsa me proporciona é temporária, logo me encontro solitário e abatido, mas sabe de uma coisa? É isso que move a minha vida. . Não conte isso a ninguém.

 -Como é o seu nome?

- Groebe, mas pode me chamar de Webber.                             

 

 

 

 

É certeza

10:07 PM, 10/7/2013

 

Eu disse Adeus ao Namoro

03:32 PM, 10/7/2013

\'\'Você sabe que me pediu a coisa mais  cara  já  feita
pelas Mãos acima?
O coração de uma mulher e a vida de uma mulher
E o maravilhoso amor de uma mulher .
Você   sabe   que  me   pediu   algo   que   não   tem  preço
assim como uma criança pede um brinquedo?
Exigindo o que os outros morreram para obter , com o
ímpeto descuidado de um garoto.
Você definiu meus deveres,
como homem, questionou-me.
Agora fique nas grades de minha alma de mulher até
que eu o questione.
Você   exigiu  que   sua   comida   estive   sempre   quente,
suas meias e sua camisa sempre impecáveis; eu exijo
que seu coração seja verdadeiro como as estrelas de
Deus e sua alma pura como Seu céu.
Você exigiu uma cozinheira para sua comida
eu exijo algo bem maior;
Uma costureira você quer para suas meias e camisas -
Eu procuro um homem e rei.
Um rei para a maravilhosa esfera chamada Lar ,
e um homem cujo Criador , Deus, observe como fez
com o primeiro e diga: “É muito bom”.
Sou formosa e jovem, mas o tom rosa pode desbotar
desta face jovem algum dia;
Você me amará quando as folhas caírem,
assim como me amou no desabrochar da primavera?
Seu coração é tão forte e verdadeiro,
que posso me lançar em sua maré?
Uma mulher amorosa pode encontrar céu ou inferno
no dia em que se torna uma noiva.Exijo tudo o que é grandioso e verdadeiro, tudo o que
um homem pode ser; se você me der tudo isto, darei
minha vida para ser tudo o que exige de mim.
Se você não pode ter isto, uma lavadeira e cozinheira
pode contratar por baixo preço;
Mas o coração de uma mulher e a vida de uma mulher
não podem ser obtidos desta maneira.\'\'

Olha pra mim

12:26 PM, 7/4/2013

Não te lembres dos pecados da minha mocidade, nem das minhas transgressoes; mas segundo a tua misericórdia, lembra-te de mim, por tua bondade, Senhor. ( Salmo 24. 7 ) Por amor do teu nome, perdoa a minha iniguidade, pois é grande. ( Salmo 24. 11) Olha para mim, e tem piedade de mim, porque estou solitário e aflito. ( Salmo 24. 16 ) As ânsias do meu coração se tem multiplicado; tira- me dos meus apertos. ( Salmo 24. 17 )

#

12:27 PM, 3/12/2012

Louvarei ao Senhor que me aconselhou; até os meus rins me ensinam de noite. ( Salmo 16. 7 )

#

10:31 PM, 25/11/2012

Guarda- me como a menina dos teus olhos; esconde- me debaixo da sombra das tuas asas. ( Salmo 17. 8 )