Vida Poética by Liliane Amorim

A Mulher de Trinta

{ 11:30, 18/5/2013 } { 0 comentários } { Link }

 A mulher de trinta

é como quer ser

faz o que quer fazer

diz o que quer dizer.

A mulher de trinta

é como toda mulher

de qualquer idade

deveria ser.



Férias!

{ 02:55, 22/1/2013 } { 0 comentários } { Link }

 



Carta de auto-amor...

{ 02:28, 22/1/2013 } { 0 comentários } { Link }

      Já que fico aqui esperando e a carta de amor nunca vem, talvez por nunca ter sido escrita, resolvi escrever eu mesma. Resolvi declarar pra mim todo amor, admiração e respeito que sinto. Resolvi mostrar pra mim que sou uma pessoa interessante e amorosa. Não quero aqui me lamuriar e nem menosprezar meu poder de sedução para com os outros mas acho, sinceramente, que o amor mais sincero para comigo só pode ser o meu mesmo. Então, aí vai.

 

Minha querida eu,

 

Não sei exatamente o que fez mas mal posso esperar o dia passar pra me ver novamente, realmente não saio da minha cabeça. Eu sou uma pessoa realmente muito interessante. Amo tudo em mim; amo estar ao meu lado e sentir minha respiração; amo me ver dormir e me ver acordar; amo meu jeito de ver o mundo com olhos de não ver o que não se há para ver; amo meu desejo de sambar, festejar; amo minha necessidade pelo outro e pela solidão; amo meu corpo de trinta anos da mesma forma que amei o meu de vinte; amo me escutar e me questionar; amo minhas risadas, faz um bom tempo que não as ouço; amo minha mania chata de achar que estou sempre certa; amo meu comprometimento pelo trabalho; amo o jeito com que me adapto à maneira de ser dos outros; amo minha adoração pelo romance; amo amar alguém; amo ser retribuída; eu me amo!

 

A sua , sempre sua: Liliane Amorim.

 

Acho importante deixar bem claro aqui que essa foi a forma que achei de dizer pra mim mesma que sou importante na vida de alguém já que as outras pessoas não são boas em demonstrar.

 



Se tu vinha...

{ 02:44, 9/8/2010 } { 0 comentários } { Link }

Ah, se tu vinha...

Eu abria

Tu entrava

Nós sorria

Tu já ía

Já bastava!



Chuva

{ 11:27, 10/8/2009 } { 0 comentários } { Link }

 

Chuva promete

vento

 

Chuva cai

vento vai

 

chuva estia

vento esfria

 

chuva cessa

vento dispersa



Exilado

{ 11:20, 10/8/2009 } { 0 comentários } { Link }

Sai a rua

Vai a lua

Mente nua

 

Bem atento

No relento

Um lamento

 

Fica triste

Mas insiste

Que existe

 

Logo cala

Nada fala

Se entala

 

Pensa alvo

Está salvo

Era alvo



{ 06:35, 24/1/2009 } { 0 comentários } { Link }

Um minuto

Apenas um minuto

Antes que tudo acabe

Quero lembrar que fomos felizes

Agora pode ir

Fico com as lembranças

E quanto a você,

Pode voltar sempre

Que quiser recordar.

 



{ 06:30, 24/1/2009 } { 0 comentários } { Link }

Ah, se tu vinha...

Se tu vinha

Era tão bom

Eu abria

Tu entrava

Nois sorria

E tu ia...

Já bastava!



Desejos

{ 01:17, 24/7/2008 } { 0 comentários } { Link }

Sempre que o vejo
desperta em mim o desejo
Do fundo do inconsciente
De tê-lo eternamente

O desejo de possuí-lo
Surge tão naturalmente
Que passa a ser inocente
A maldade de minha mente

Ficam a voar meus pensamentos
Onde não me deixa penetrar
E lhe chega através do vento
O desejo de me amar



que visão... passando de carro em Praia Seca, não tive como não registrar essa imagem...

{ 02:10, 1/4/2008 } { 0 comentários } { Link }


o que é poético...

{ 05:10, 11/9/2007 } { Postado em poesia } { 1 comentários } { Link }

o amor foi poesia

enquanto ilusão,

cessou,

a realidade não é poética...



Quem dera fosse Romeu e Julieta...

{ 11:15, 24/8/2007 } { Postado em poesia } { 0 comentários } { Link }

 

Julieta e Romeu

 Julieta amava Romeu

abriu mão da família

não ouviu os amigos

se lixou pra sociedade

e resolveu respirar, falar

viver, amar, tudo Romeu

até que Julieta percebeu

que tudo era mentira

que Romeu era mentira

que ela era mentira

que seu amor

era a única verdade

então mandou Romeu se lixar

e se amou.



...

{ 09:33, 20/8/2007 } { Postado em poesia } { 0 comentários } { Link }

Vinhas lindo

trajavas um belo terno

e assobiavas qualquer coisa.

fiz sinal para te sentares

parece não ter visto

ou será que percebeste em mim

qualquer colóquio incompatível...



Helena (Joana)...

{ 05:49, 14/8/2007 } { Postado em música } { 18 comentários } { Link }

Acredite! Isso é uma música e minha mãe cantava

pra eu dormir quando pequena. Não saiu da

minha cabeça. Pra quem quiser eu canto o rítmo dela ( risos )...

- Toc toc

-(mãe)Quem bate aí?

- Toc toc

- (mãe)Quem bate aí?

-(Helena)Mamãe é o cego que vem lhe pedir, mamãe é o cego que vem lhe pedir.

-(mãe)Vai Helena bem devagarinho, vai Helena bem devagarinho,

Buscar pão e vinho para o ceguinho, buscar pão e vinho para o ceguinho.

-(cego)Eu não quero seu pão e nem o seu vinho. Eu não quero seu pão e nem o seu vinho. Só quero que Helena me ensine o caminho. Só quero que Helena me ensine o caminho.

-(mãe)Vai Helena bem devagarinho, vai Helena bem devagarinho, ensinar o cego onde é o caminho, ensinar o cego onde é o caminho.

-(Helena)Está aqui seu cego, está aqui o caminho, está aqui seu cego está aqui o caminho.

-(cego)Caminhai Helena só mais um pouquinho, caminhai Helena só mais um pouquinho.

-(Helena)Valha me Deus, minha virgem Maria. Valha me Deus , minha virgem Maria, eu nunca vi cego de cavalaria, eu nunca vi cego de cavalaria.

-(cego)Eu não sou cego e nem quero ser, eu não sou cego e nem quero ser, me fingir de cego pra roubar você, me fingir de cego pra roubar você.

-(Helena)Adeus minha casa, adeus meu jardim, adeus minha casa adeus meu jardim, adeus minha mãe que foi falsa pra mim, adeus minha mãe que foi falsa pra mim.

 



Esposar

{ 09:25, 14/8/2007 } { Postado em poesia } { 0 comentários } { Link }
No olhar a luz do amor

torna claro o caminho

numa estrada de esplendor

toda feita de carinho.

 

O fogo no coração

o destino já traçado

no corpo a paixão

pelo ser tão desejado.

 

Chega a hora esperada

pelos dois tão desejada

que a fusão toma lugar

 

O destino esta traçado

o amor sacramentado

valeu a pena lutar!



.

{ 09:15, 14/8/2007 } { Postado em poesia } { 0 comentários } { Link }

    

já que estais aqui presente

e não há nada a falar

deixe que o tempo espere

e que nada nos supere

no passatempo do amar.



!

{ 09:13, 14/8/2007 } { Postado em poesia } { 0 comentários } { Link }

 

Desejo não precisar dizer;

Desejo não ter de pedir;

Desejo não pedir pra dizer!



e o vento ... (risos)

{ 09:05, 14/8/2007 } { Postado em prosa } { 0 comentários } { Link }
 

O vento bateu minha janela

Olhei, as folhas todas dormiam

Mas ele chega a balançar a janela, não entendo.

Abro a janela, ele entra.

Ah... ele só não queria ficar só, lá fora.

Nem eu.

Ficou então lento e calmo.

nos fizemos companhia.

Até que adormeci.

Acordei, percebi que lá fora as folhas brincavam,

Nem o vento gosta da solidão!

 



...

{ 08:50, 14/8/2007 } { Postado em poesia } { 0 comentários } { Link }

te sinto voltando

me esquivo

será melhor



dia dos pais

{ 08:56, 13/8/2007 } { Postado em informes } { 0 comentários } { Link }

 

manhã de alegrias, emoções, festejos;

de ausência, saudades.

 



{ Última Página } { Página 1 de 2 } { Próxima Página }

Sobre Mim

Home
Perfil
Arquivos
Amigos
Álbum de Fotos

«  July 2017  »
MonTueWedThuFriSatSun
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31 

Links

meu orkut
Recanto das Letras
blog do jornalista Rogério Costa

Categorias

conto
informes
música
poesia
prosa
trova

Últimos Posts

A Mulher de Trinta
Férias!
Carta de auto-amor...
Se tu vinha...
Chuva

Amigos