Caravana na Onda da Cidade Azul

BLOG do Programa: ASSIM ERA O RÁDIO

 

Documentário: "A mesma, uma cidade".

Programação de Rádio - diretamente da Floresta Estadual Edmundo Navarro de Andrade - Rio Claro/ SP

Incluir HTML:

Floresta em Festa: FEENA - Rio Claro

Evento realizado nos dias 20 e 22 de julho de 2011 - períodos matutino e vespertino - Projeto: Brincando com o Rádio na Floresta".

Incluir HTML:

Fotos da Oficina: "Brincando com o Rádio na Floresta"

Incluir HTML:

Lançamento da Revista nº 7 - Arquivo Público e Histórico do Município de Rio Claro - Junho de 2011

O Lançamento aconteceu no Casarão da Cultura de Rio Claro, dia 17 de junho de 2011.

 

Artigo: "Radionovelas: cultivando a história com a inclusão do nosso povo"

 

Revista do Arquivo Público Histórico do Município de Rio Claro - Versão digital da edição nº 7 - Seta Regional Editora

Segue o artigo nas páginas 33, 34 e 35 da Revista abaixo:

 

 

Pensando em rádio...

"Observe e conferirá que as ideias não têm dono, essas se oferecem e as mentes antenadas as percebem, mas nem todas conseguem expressá-las. A civilização avançará quando deixar de tratar as ideias como patrimônio."

Em outras palavras:

"O conhecimento não é de ninguém em particular, todos os humanos o mamam na mesma fonte e não se pode reclamar direitos autorais sobre as ideias. Evidentemente, nossa civilização comete grandes pecados nessa área."

Nas palavras de Oscar Quiroga (2011), astrólogo que estuda a relação entre os astros e a humanidade.

Por outro lado, citando Gaston de Bacherlard:

 

"Rádio é uma função de originalidade.
Não se pode repetir. Deve criar a cada dia”


Mas, quando pensa-se em arte, segundo Fernando Pessoa, o essencial é:

"O essencial da arte é exprimir; o que se exprime não interessa."


 

José Régio - Bibliografia - Coletânea de Poemas - "Cântico Negro", "...", "Soneto de amor", "Poema do Silêncio" ORG: Marcos S T Lopes

Incluir HTML:

Charles Chaplin (1889 - 1977): O último discurso de "O grande ditador"

“Nossos conhecimentos fizeram-nos céticos; nossa inteligência, empedernidos e cruéis.
Pensamos em demasia e sentimos bem pouco. Mais do que máquinas, precisamos
de humanidade; mais do que de inteligência, precisamos de afeição e doçura!
Sem essas virtudes, a vida será de violência e tudo estará perdido."
(Charles Chaplin, O último discurso de “O grande ditador.” 1940).


Comentem e participem das manifestações artísticas culturais, internautas. Não deixem de fazer história. Segue a obra: Charles Chaplin (1889 - 1977): O último discurso de "O grande ditador".

Incluir HTML:

Convite aos internautas de Rio Claro/ SP e região

 

PROJETO ARTÍSTICO CULTURAL PARA FORMAÇÃO DE ATORES DE RADIOTEATRO

 

OFICINA DE TEATRO PELO RÁDIO

 

O presente projeto leva aos ouvintes de rádio: Artes Cênicas; Audiovisuais (trabalhos com áudio e vídeo, programas de rádio, TV, jornal e cinema); Literatura; Música; Dança; folclore e Arte Popular, etc., por meio da proposta cultural que aborda temas relacionados a história do rádio, como tecnologia eficaz para prestação de serviços e entretenimento, interação e construção com a comunidade de um veículo de informação e comunicação, através do beneficio de ser o meio mais popular do Brasil.

Sabemos que o rádio é um veículo de informação popular, para comunicação das diferentes camadas da sociedade, doravante as programações de outras épocas como o teatro pelo rádio e as radionovelas - pouco valorizados – tornam a exigir um necessário resgate pela sociedade civil, a fim de se promover de tais ações culturais.

Nossa equipe técnica é composta da produção e dos atores e atrizes participantes do projeto, sendo esses os responsáveis pela difusão da cultura histórica do rádio, por meio das novas tecnologias de comunicação. Sendo a equipe de produção, formada por: Esmeralda Martins Schlittler Fernandes (colaboradora); Marcos Tertuliano (Diretor Geral); Antonio Neto (produtor e publicitário); Jucá J. S. Trindade (Edição multimídia), tendo-se em vista a bagagem deixada por Roberto Fernandes (Precursor de movimento, falecido em 96). Uma observação importante é que parte da equipe diretiva participou nas gravações da obra clássica: “Marcelino Pão e vinho”, a qual foi sucesso nas audiências de resgate aos anos dourados do rádio em Rio Claro/ SP.

            Nossos encontros para ensaios e oficinas acontecem, aos sábados, às 15 h, no salão nobre da Escola Estadual Joaquim Ribeiro – Rio Claro/ SP – avenida 13 e 15 com a rua 6 e 7. Local em que são realizados os cursos de capacitação para atuação em ambientes radiofônicos nas áreas de dublagem, os quais são realizadas, em prol de possíveis contatos com emissoras e empresas de todo Brasil.

Um trabalho de construção de obras teatrais, para que sejam radiofonizadas pelo programa: “Assim era o Rádio”, apresentação Antonio Netto.

Participem de nossas reuniões, afinal, as múltiplas vozes são muito importantes prás gentes.

 (Foto do Ensaio dia 28/05/2011, da esquerda para direita estão: Fernando Rodrigues de Camargo Okubo; Selma Pires dos Santos; Marly de Paula Domingues dos Santos; Antonio Neto).

 

INFORMAÇÕES: Radialista Antonio Neto do Programa: “ASSIM ERA O RÁDIO” Rádio Educação e Cultura de Rio Claro – AM - 1. 140 KHz – Telefone do produtor: 19 - 35231327 e Celular: 19 - 94140046.

           

 

Entrelace de Poemas: "José - Carlos Drummond de Andrade" e "Tecendo a Manhã - João Cabral de Melo Neto"

Incluir HTML:

Gosto dos venenos mais lentos - Clarice Lispector

Incluir HTML:

Reportagem no JORNAL CIDADE LIVRE - Uma nova maneira de informar! Rio Claro, 16 de abril de 2010 - Edição de número 14

 

Para acessar o jornal na integra:<http://www.tvcidadelivre.com/jornal/edicao14.pdf>.

Tragédia - Marcos S T Lopes

Incluir HTML:

Convite aos internautas

              Prezados Articulistas e Colaboradores,

 

 

 

 

 

 

              O Arquivo Público e Histórico do Município de Rio Claro tem o prazer de convidar vocês, seus amigos e familiares para o lançamento da “Revista do Arquivo nº 7”, a ser realizado no dia 17 de Junho de 2011, sexta-feira, às 20h, no Casarão de Cultura. Na mesma ocasião será aberta a Exposição Fotográfica do Concurso “Rio Claro Revela sua História III”.

 

 

               Esperamos por vocês!

 

               Atenciosamente, Projeto Artístico Cultural: "Caravana na Onda da Cidade Azul".

Projeto Caravana na Onda da Cidade Azul

 

 

Lixo - Luis Fernando Verissimo

Incluir HTML:

Mãe é foda - Luis Fernando Verissimo

Incluir HTML:

A aliança - Luis Fernando Verissimo

Incluir HTML:

A Reforma - Tom & Jerry - Jucá Julio Sanchez Trindade

Incluir HTML:

Incluir HTML:

Incluir HTML:

Baile Inesquecível - Roberto Fernandes

Incluir HTML:

ERRATA: contribuições aos créditos de Espelho de Beleza - Marcos S. T. Lopes e Arrependimento Tardio - Esmeralda M. S. Fernandes

           Faz-se necessário atribuir aos créditos do lançamento da obra: “Arrependimento Tardio – Esmeralda M. S. Fernandes”, que a foto utilizada na adaptação do roteiro, para transmissão pela internet, está disponível no site: http://jornalcidade.uol.com.br/rioclaro/intervalo/intervalo/66651-EVENTO:-radialista-e-tema-de-livro-que-sera-lancado-nesta-sexta.
            Assim, quem quiser saber mais informações sobre o lançamento do livro: “Busca Infinita – Esmeralda M. S Fernandes” – acessa e conhece melhor a autora. Aliás, é difícil rotulá-la aqui, pois ela não costuma gostar que a chamem de escritora. Mas, como for, Esmeralda será sempre, como Antonio Neto diz, uma exímia colaboradora de nosso projeto de teatro pelo rádio.
            As fotos do blog, as que foram inseridas em ambas as obras são, em parte, crédito do Arquivo Municipal de Rio Claro, que digitalizou as fotos do arquivo pessoal de Antonio Neto; da colaboração de Marcos S. T. Lopes com a formatação de fotos na inserção do teatro por meio do YouTube e do arquivo do presente projeto.

Arrependimento Tardio - Esmeralda Martins Schlittler Fernandes

Incluir HTML:

Incluir HTML:

Tecendo comentários sobre o lançamento virtual de Espelho de Beleza

           Fala gente, que como a gente, busca saborear saberes sociais! Doravante um comentário, a fim de expor algo imensurável, então, contentem-se com um acercamento das principais ideias da obra: "Espelho de Beleza - Marcos Sergio Tertuliano Lopes".

          Não se pode falar em mito antes de recorrer de Homero a Nietzsche, mas como a natureza que se repete, afinal não é o verdadeiro objetivo e função do mito: vamos passar de matéria dominada, para esquecer de qualidades ocultas? O negócio é tão sério, que até o verdadeiro objetivo e função da ciência entra em cheque. Melhor nem dizer muito, pois o esclarecimento elimina a prática, e afinal o instrumento (o rádio), não é uma artilharia eficaz, nem ao menos, uma bússula, um controle remoto. Não se pode dominar o mundo com ele. O barato é só curtir bastante, acumular experiências.

           Vamos colocar os dados de outra maneira, um método de dominar a natureza, para tomar controle de tudo, não é o pressuposto do lançamento da presenta obra (Espelho de Beleza), então, gente, o que vale é deixar a imaginação tomar conta do momento, e não tentar dizer o indizível. Mas, se quiserem saber como foi o processo de gravações já ajuda a não objetificar a obra, e consequentemente o projeto.

        Após cerca de 1 ano de lançamento, por meio da Rádio Educação e Cultura de Rio Claro - AM - 1.140 KHz, e também da rádio WEB - Rede Cidade Livre (http://www.tvcidadelivre.com/), o espetáculo teatral que retrara o mito de Narciso, é um olhar contemporâneo, para construir outras possíveis leituras da história, que é símbolo humano - uma etapa de nosso crescimento biológico, um dos programas básicos de arquétipos - em uma psicologia aplicada, que propõe a democratização da cultura e do saber, a fim valorizar as considerações livres de pensamentos impostos.

       A obra foi incerida, primeiramente, em um domingo - às 21h - no programa: "Assim era o Rádio", locutor e apresentador Antonio Neto. O programa apresentou comentários, ao vivo, dos estúdios da rádio acima citada. No ar: Antonio Neto, Gilmar Catuso e eu.

         Bom, na verdade, o jeito é ouvir gente, pois pra falar em mitologia o essencial é ser humano e se deixar cativar por uma boa história. Boa leitura, vamos ler como Ray!!!!! Beijos e abraços, todos eles super informais, vamos construindo o inacabado, com certa licença poética, explicando nossa existência; exprimindo mais que uma técnica industrial universal, pois o saber desampara os homens, se a arte não entrar em ação.

         Obrigado, caros visitantes internautas, meus préstimos e atenção: Jucá Trindade.

            

 

Espelho de Beleza - Marcos S T Lopes

Incluir HTML:

 

Incluir HTML:

Registro de apoio da Secretaria Municipal de Cultura

Relembrando um movimento de importantes manifestações da cultura brasileira, a iniciativa do programa semanal de uma hora de duração, recupera a história do rádio, utilizando-se do acervo do Sr. Mauro Antonio Aparecido Galo (Antonio Neto), para disponibilizar ao público um vasto material de pesquisa, que é fruto da dedicação de mais de 30 anos do radialista acima citado.

 Evidencia-se, o programa: ”Assim era o Rádio”, que é reconhecido pela Associação das Entidades Usuárias do Canal Comunitário de Rio Claro, pois trabalha em prol da democratização da cultura e do saber, de modo a recuperar o direito público de tomada de conhecimento, acerca dos saberes provisórios sobre programas de auditório, teatro pelo rádio, radionovela e oficinas radiofônicas em geral.

 Para firmar esta iniciativa, segue abaixo a Carta de Apoio do Secretário Municipal de Cultura de Rio Claro (Ney Pignataro Fina), que apóia o projeto, além de direcionar a equipe diretiva, para a regulamentação e confecção do estatuto, os quais viabilizarão a providência de verbas com destino a ampliação do trabalho, ou seja, o reprojeto para atuar institucionalmente, em uma organização não governamental (ONG).

 

Carta de Apoio - Prefeitura Municipal de Rio Claro (Secretaria Municipal de Cultura).

3ª Edição do Prêmio Cultura Viva

            O programa: "Assim era o Rádio", parte integrante do projeto: "Caravana na Onda da Cidade Azul", por intermédio da Rede Cidade Livre - Rádio WEB - obteve classificação entre os 120 semifinalistas da 3ª Edição do Prêmio Cultura Viva, que é uma iniciativa do Ministério da Cultura (MinC), com o patrocínio da Petrobras e coordenação técnica do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec).

          Nesta edição reconheceu-se o presente grupo informal, diante das 1.794 inscrições, sendo que dessas 668 foram na categoria de Organização da Sociedade Civil, a que se enquadrou o programa em evidência.

            Segue abaixo o certificado de participação neste âmbito da articulação entre cultura e comunicação:

3ª Edição do Prêmio Cultura Viva

 

 

Delimitando a justificativa da temática: Radionovelas


Assim, a própria ciência revela-se em suas diversas áreas tão castrada e estéril, em decorrência desses mecanismos de controle, que até para continuar existindo acaba necessitando do que ela mesma despreza (ADORNO, Theodor W. Educação e emancipação. 1995. p.171).      

       Revelando novos talentos, o trabalho interdisciplinar desenvolve potencialidades relativas a emancipação, pois o foco deste processo é situar os sujeitos de modo equidistante, a fim de não apenas capacitar a discução de técnicas radifônicas, mas também socializar objetivos com fins pedagógicos.

      As atividades de formação artística e cultural estimulam a resistência e a contestação, no sentido de preparar observadores analíticos, que saibam usar as ferramentas para contruir uma consciência evoluída em conjunto. Caso contrário, os programas de rádio e tevê podem cultivar, apenas, e tão somente: as divulgações de ideologias superficiais, entrementes, isso contribui a questões que não demandam elaborações críticas.

        Portanto, como justificativa vale ressaltar as contribuições do trabalho com as radionovelas, questão fundamentada na perspectiva da autonomia: o desenvolvimento da emancipação.

 

Grande revelação do rádio (anos 90)

(Fonte: Arquivo pessoal de Antonio Netto - Digitalização: Arquivo Municipal de Rio Claro/ SP)

 

       Na foto acima, é possível observar, da esquerda para direita: Antonio Netto e Fabiano Cipriano, um registro que revela a importância de projetos de rádio, os quais estejam voltados para integração entre públicos de todas as idades.

 

Gravação do Programa: "Romance e Melodia", Oficina de teatro pelo rádio, década de 90.

         Observa-se, na foto, o registro de uma gravação radiofônica, a qual teve como objetivo: produzir a obra: "Uma Estrela para dois", sendo o roteiro escrito em argumentos por Roberto Fernandes e Antonio Netto.

 

Gravação do programa "Romance e Melodia", década de 90 - Rio Claro/SP


          (Fonte: Arquivo Pessoal de Antonio Netto - Digitalizado pelo arquivo municipal de Rio Claro/ SP)


        Na foto, da esquerda para direita, estão: Francisco Pereira Filho; Dalva Ferreira Pison; Roberto Fernandes e Vitória Senne.

          Todos participaram do elenco da 1ª radionovela gravada nos estúdios da Rádio Educação e Cultura de Rio Claro - "Marcelino Pão e Vinho".

             Em virtude do grande sucesso, a Oficina de radionovela continuou fomentando o resgate artístico do teatro e da novela, a fim de que o rádio seja o instrumento de transformação da cultura popular. Vale citar a obra: "Baile Inesquecível", pois devido a repercussão do roteiro, a mesma foi adaptada, para a regravação, nas vozes de novos colaboradores do projeto.

Gravação da 1ª Edição de "Arrependimento Tardio" - Esmeralda M. S. Fernandes, a qual tinha como título: "Telma merece ser feliz?".

 

           Esta foto registra a gravação da 1ª versão - primeiro semestre de 2010 - de Arrependimento Tardio - Esmeralda M. S. Fernandes, quando, até então, a obra chamava-se "Telma merece ser feliz?".

 

          Já nessa nova fase a equipe diretiva, a que pode-se chamar de célula voluntária de ação social, produziu a continuidade do roteiro que narra os traumas desencadeados pelo casamento da protagonista Telma (Rosangela Fratucelo Camilo). Um texto elaborado por meio de uma carta de um (a) radiouvinte, quando tinha-se a interatividade de todo público como proposta lúdica, pois os radiouvintes decidiriam o final da história, para opinar diante da problemática equacionada pelo enredo. Mas, como a obra foi engavetada, gravou-se "Arrependimento tardio", dando um final inusitado a história de vida, tornando-a em um romance marcado pelas lembranças difíceis de se superar. O resultado foi a ficção baseada em fatos verídicos, que mostra a importância da comunicação -, no caso a falta de diálogo, em uma família, na qual as relações mantêm-se instáveis; um tema que visa conscientizar-nos, para a prevenção, minimização e resolução de conflitos interpessoais, na instituição familiar.

Dinâmica da célula de estudo radiofônico

                Dinamizando um combate que vai de encontro com o processo da exclusão, o Projeto: “Caravana na Onda da Cidade Azul”, por meio dos esforços do radialista, roteirista, dramaturgo e ator, Roberto de Lima Fernandes (1949-1996), desde meados dos anos 90 desenvolve um trabalho de conquista do espaço perdido pelo rádio, devido ao surgimento da televisão, e da Internet, etc.

        O presente grupo de estudo, aprofunda-se no processo histórico de popularização do rádio, um veículo de informação e meio propício para prestação de serviços à comunidade.

         Mas, antes disso, a história já registrava a comunicação, como sendo importante mecanismo transformação da realidade, quando baseada na discussão e no diálogo entres as gentes. Além de a manifestação existêncial crítica e reflexiva, que expressa os anseios e desejos dos sujeitos a este conhecimento.

     Quando Tróia caiu, em 1250 a. C., Agamêmnon resolveu contar o fato à sua mulher, Clitemnestra, fazendo fogueiras no alto de montes vizinhos. Este é o registro mais antigo do uso da comunicação sem fio, a distância (POLETTO; FERNANDES, 2009, p. 135).

 

 

 

 

Primeira formação de elenco nas produções artísticas culturais - a radionovela em Rio Claro, a cidade azul.

          De acordo com o correspondente da Folha de São Paulo (1992), um processo de seleção de elenco, para produções artísticas culturais, no município de Rio Claro/ SP, originou a “Oficina Cultural de Rádio Teatro”, a qual é coordenada pelo publicitário e produtor Mauro Antonio Aparecido Gallo (Antonio Neto), direcionada atualmente pelo poeta, Marcos Sergio Tertuliano Lopes.

 

Reunião de implementação das oficinas de teatro pelo rádio

         

          Um projeto movido pela expectativa de trazer um pouco do passado dos anos dourados do rádio brasileiro, sendo uma realização, que impulsiona a conquista pessoal, profissional e cultural dos sujeitos, indo além da capacitação para os ambientes radiofônicos, pois visa o engajamento social e educacional dos indivíduos.

 

REFERÊNCIAS:

 

CORRESPONDENTE. Produtor quer “ressuscitar” as radionovelas em Rio Claro. De Volta ao Passado. Folha Sudeste. Folha de São Paulo. 25 de out. de 1992. p. 7.

 

 

A gravação do roteiro adaptado do clássico cinematográfico: “Marcelino Pão e Vinho”, radiofonizado em 1994, pela Rádio Educação e Cultura de Rio Claro. Fonte: Arquivo pessoal do radialista Antonio Netto.

A gravação do roteiro adaptado do clássico cinematográfico: “Marcelino Pão e Vinho”, radiofonizado em 1994, pela Rádio Educação e Cultura de Rio Claro. Fonte: Arquivo pessoal do radialista Antonio Netto.

         

          Numa linguagem para o rádio, o Diretor e ator Roberto Fernades, a pedido de Antonio Neto (radialista e produtor), escreveu adaptando do clássico Espanhol de J. M. Sanches, o sucesso do cinema na década de 60: "Marcelino Pão e Vinho", que foi levado ao ar pela Rádio Educação e Cultura de Rio Claro, dentro do programa do comunicador Ney Paiva. Radionovela esta, gravada em 10 capítulos, nos estúdios da referida rádio. Na foto, pode-se observar o elenco da obra citada, diante da Oficina Cultural de Radioteatro de Rio Claro.

 

Gravando Marcelino Pão e Vinho - elenco dos anos 90.

 

          (Fonte: Arquivo Pessoal de Antonio Netto - Digitalização: Arquivo Municipal de Rio Claro/ SP)


           Como se pôde observar, na foto acima, da esquerda para direita, seguem os colaboradores: Dorival C. Fontes; Roberto Fernandes; Claudio Tonéte, Fabiano Cipriano; Decio Escher e Lino Santos.

 

 

 

 

Apresentação do Projeto - Introdução: as obras e artístas

          Este que vos segue é o Projeto: "Caravana na Onda da Cidade Azul", desenvolvido em Rio Claro, interior de São Paulo, por meio dos esforços da equipe de produção do programa: Assim era o rádio", que é formada pelo radialista Antonio Netto (idealizador), o diretor artístico Marcos S T Lopes (poeta rioclarense), o pedagogo Jucá J S Trindade (editor de som e roteirista) e a roteirista Esmeralda M S Fernandes (professora aposentada), além de os artístas e simpatizantes que participam das Oficinas de radionovela.

 

          Em 2010, sobre nova direção, o projeto elegeu nova equipe diretiva e realizou a organização dos documentos de regulamentação junto aos orgãos responsáveis pelo município de Rio Claro/ SP; confeccionou um blog e uma comunidade no orkut, bem como produziu 14 obras de teatro pelo rádio, sendo que existem 2 obras ainda não lançadas, como segue abaixo:

 

     1 - Espelho de Beleza - Marcos S T Lopes;

 

     2 - Arrependimento Tardio - Esmeralda M S Fernandes;

 

     3 - A Reforma de Tom and Jerry - Jucá Trindade;

 

     4 - Baile Inesquecível - Roberto Fernandes;

 

     5 - A Aliança - Luís Fernando Veríssimo;

 

     6 - Lixo - Luís Fernando Veríssimo;

 

     7 - Entrelace de Poemas - José & Tecendo a manhã;

 

     8 - Gosto dos venenos mais lentos – Clarice Lispector;

 

     9 - Uma Estrela Para Dois - Roberto Fernandes (Editando);

 

     10 - Mãe é Foda - Luís Fernando Veríssimo;

 

     11 - Cântico Negro - José Régio;

 

     12 - O Último Discurso - Charles Chaplin;

 

     13 – A Tragédia – Castro Alves (Editando);

 

     14 – Tragédia – Marcos Sergio Tertuliano Lopes.

 

          Neste ano de 2011, o projeto lança a frente, uma proposta de inclusão social, que tem como fim, os meios para o engajamento social e profissional de seus participantes, bem como dos ouvintes, por intermédio do rádio, como veículo de informação de baixo custo, em relação ao benefício, que é a prestação de serviços às comunidades alcançadas.

 

Comunidade no orkut: "Atores de Rádio Teatro".

Disponível em: <http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=104418140>.

 

 

O resgate do teatro pelo rádio: Assoprando as cinzas da radionovela


  E as cortinas se erguem, dando vazão para a emoção; num vôo lúdico para fazer renascer o “nostálgico” que tanto prazer proporcionou aos ouvintes na década de 50. Nesse tempo, podia-se viajar nos braços da imaginação e fazer os personagens de muitas vozes e tamanha dramatização, criarem movimentos e formas através dos maiores amantes das estórias criadas e levadas pelo rádio.

               Os trabalhos ganharam notoriedade e os capítulos foram ampliados, bem como adaptados para o gosto daquele ouvinte sentimental.

 Nasceram, então, talentos da voz: que emocionavam e causavam até gemidos às mocinhas sonhadoras da época.

 Descortinando uma gama de sentimentos: ódio, amor, alegria e tristeza atingindo aquelas criaturas que já tinham hora marcada para retumbar seus corações.

 Chegavam até a pressionar seus ouvidos, no rádio, para não perder um instante da parca transmissão.

 O radio cresceu e ganhou notoriedade.

 Começou então a fase de luxo, onde o sistema foi aprimorado, criando o “FM” que já carregava um arroubo econômico mais ousado. O que começou a expulsar gradativamente a emoção da dona de casa.

 Quando nos demos por si, silenciaram-se as emoções das estórias de tantas faces, enquanto os atores; adquirindo rostos, migraram para o enlatado veículo chamado televisão.

 Ceifou-se então a fantasia, a imaginação e a emoção criativa dos sentimentais.

 Hoje temos essa proposta: assumir um espaço para os saudosistas, por intermédio de textos inéditos ou explorados de autores consagrados ou em adaptações de relatos da nossa região.

 Queremos aguçar a imaginação, revelar talentos, modernizar a proposta; sem retirar a essência.

 Já temos um pequeno grupo e estamos alavancando e selecionando nos talentos; assim como já dramatizamos alguns trabalhos, os quais já foram levados para apreciação do nosso povo rio-clarense “ligados nas ondas do rádio”. 

 O trabalho é árduo e meticuloso.

 O nosso amor e persistência a esse resgate também.

 Somos um grupo saudosista e cativado da imaginação, a fim cultivar os valores ligados a fantasia.

 

 SOMOS SERES PENSANTES E CRIATIVOS, QUERENDO ARREBANHAR OUTROS SERES TAL QUAL NÓS, E PROPORCIONAR AO OUVINTE O PRESENTE DESSA EMOÇÃO, QUE JAMAIS DEVERIA TER SIDO PERDIDA.

 

 

 Marcos Sergio T. Lopes – 27/02/2011